O conteúdo utilizado como estratégia de Marketing não é algo que surgiu com a internet. No entanto, o crescimento da web potencializou a criação de conteúdo de uma forma nunca vista antes.

De acordo com a pesquisa da Custom Content Council and ContentWise, “Staffing and Compensation Study: How Organizations Staff Their Content Marketing Endeavors” (Estudo de Compensação e Trabalho: Como organizações investem no Marketing de Conteúdo – tradução livre), a contratação de funcionários dedicados em tempo integral ao conteúdo cresceu 148% entre 2000 e 2012. Nesse mesmo período, o aumento salarial desses profissionais foi de 214%.

Mas você já parou para pensar porque as empresas estão investindo tanto em conteúdo? Essa questão é até fácil de responder, mas, se você sair perguntando por aí, as respostas podem ser as mais variadas possíveis. Em geral, é mais comum você ouvir essas justificativas para a criação de conteúdo:

  • Para fazer propaganda de forma menos explícita.
  • Para aparecer mais na internet (estar na primeira página dos principais buscadores).
  • Para gerar mais leads (através de landing pages e formulários no site).
  • Para vender mais (on-line principalmente).

Essas respostas obviamente têm muita relação com o contexto atual, onde quase tudo é digital, mais rápido e a comunicação espalha-se mais facilmente. Porém, muito antes da internet existir, o conteúdo já era utilizado com um foco bem informativo, de fidelização ou para reforçar a presença da marca.

Veja alguns exemplos de formatos mais antigos de conteúdos:

  • Jornais empresariais: com cases de sucesso, novidades da empresa e notícias do setor.
  • Revistas: um bom exemplo são as empresas de cosméticos que, desde sempre, criam suas próprias revistas com dicas de maquiagem e detalhes sobre os produtos.
  • Livros: a Hellmann’s lançou vários livros de receitas que utilizavam o produto.

Com a expansão da web, o desenvolvimento de conteúdo e vídeos aumentou significativamente, e o esforço que, antes, era dedicado aos materiais impressos, passou a ser focado cada vez mais no mundo virtual (veja gráfico abaixo). Isso tudo permitiu um alcance muito maior e a possibilidade de inovar ainda mais com esse tipo de estratégia.

O gráfico abaixo demonstra o tempo dedicado pelos profissionais de marketing em cada tipo de conteúdo:

grafc

Logo, as formas de apresentar um conteúdo tornaram-se ilimitadas: vídeos dos mais variados tipos ou durações, e-books, infográficos, artigos, apresentações para download, webinars, templates, podcasts, whitepapers, mobile contents etc.

Mas, você sabe o que todos esses conteúdos deveriam ter em comum e, muitas vezes, é deixado de lado?

Todo e qualquer conteúdo precisa ter um objetivo que vai além da compra e venda. E qual é esse objetivo que jamais deve ser esquecido? Respondo: o objetivo de ensinar alguma coisa.

De nada adianta criar um belo conteúdo, fazer reflexões brilhantes, empurrar o seu público para a compra do seu produto e não lembrar do que é mais essencial: de que forma a sua marca está contribuindo para a vida dele com esse material.

Quando uma pessoa dedica o tempo dela para ler um conteúdo, ela espera, com toda certeza, aprender alguma coisa. Além disso, se entrarmos mais a fundo na questão da educação, perceberemos que o Brasil deixa muito a desejar nessa área – oque, em grande parte, é o que nos impede de nos tornarmos país mais desenvolvido.

Você quer que seu público compre seu produto? Então ofereça o que é mais precioso: estudo.

Nosso papel, como profissionais de Marketing, é vender produtos ou serviços para pessoas que precisam dele e, além disso, que estejam prontas para seu uso e consumo.

Afinal, vender para quem está pronto para utilizar o que sua empresa oferece, além de trazer benefícios como aumento da confiança do consumidor, também impactará diretamente na redução da taxa de Churn Rate da empresa. Isso porque quanto mais vendas empurradas no momento errado, mais clientes desistentes sua empresa terá.

Portanto, repito, o objetivo não é só vender, mas sim preparar seu público para compra, de forma educativa e inteligente.

Quando nos deparamos com um conteúdo que nos ajuda a crescer, fazemos questão de saber quem foi a pessoa (ou empresa) que o escreveu, de continuar a segui-la e de compartilhar esse material. Aí já começa a viralização da sua marca por meio de um conteúdo educativo e sem apelo promocional.

Mas é importante lembrar que educação não se absorve de um dia para outro, é preciso ter paciência. Se sua empresa já começou a construir suas pequenas escolas, não importa o formato ou meio de distribuição de conhecimento, com certeza ela está construindo um grande grupo de seguidores e fãs, que, um dia, poderão ser seus clientes por um longo período de tempo.

banner clique
The following two tabs change content below.
Especialista em gestão de marketing com mais de 10 anos de experiência. Formada na área de Comunicação e com MBA em Marketing, experiência em Startups e em projetos de marketing internacionais, envolvendo países como Estados Unidos, México e Portugal.