Cada vez que assisto ao clipe Another Brick on the Wall, da banda Pink Floyd, tenho uma nova visão sobre uma diferente área de vida. Da última vez que o vi, percebi o quanto esse vídeo pode ajudar a refletir sobre as formas que enfrentamos os desafios do dia-a-dia, podendo impactar até mesmo na solução dos problemas da área em que atuamos, neste caso, a área de Marketing.

Sem rodeios, é representado de forma clara no vídeo o quanto nossa cultura foi marcada por uma educação de imposição, que, em algumas esferas, desenvolveu uma sociedade sem distinção individual. Quando nos damos conta, estamos todos caminhando um atrás do outro, sem ao menos saber o porquê. Quando percebemos que estamos perdidos, não temos ideia de por onde recomeçar e a busca por caminhos alternativos é dura e cruel.

A verdade é que fazendo exatamente como os demais não chegaremos no mesmo lugar que eles ou onde desejamos. Também é fato que não existe qualquer fórmula mágica ou solução simples e rápida para chegar onde se almeja.

Aliás, essa é uma grande tendência do ser humano, estamos sempre em busca de caminhos curtos e rápidos ou cápsulas mágicas para a solução dos problemas. Por mais que a realidade tenha mudado, ainda é possível notar certa acomodação, por exemplo, na forma de buscar inovação. Muitos procuram formas simples, encaixotadas e, de preferência, que se venda com o conceito de “rápido resultado”.

Mesmo consciente de tudo isso, milhares de gestores comportam-se como na cena do clipe do Pink Floyd, onde todos apresentam os mesmos rostos e fazem exatamente as mesas coisas. Ou seja, as empresas executam as mesmas estratégias que outras, apenas porque alguém disse que assim seria “o certo”.

Com o avanço da tecnologia, milhares de novos produtos são lançados diariamente, com a promessa de solucionar os problemas das indústrias e das agências de Marketing – o que, por sua vez, pode tirar a visão do que é realmente importante para você. Cada empresa ou negócio tem sua particularidade, por isso, é necessário muito cuidado para avaliar o que realmente pode ser significativo para solucionar seus problemas específicos.

Você, gestor de Marketing, precisa de muita cautela para conseguir filtrar o que verdadeiramente irá ajudá-lo. E, acima de tudo, lembre-se: nenhuma ferramenta sozinha irá salvar a sua empresa.

Só há uma coisa que poderá fazer isso: você parar e pensar muito.

Pensar no quê? Nesse sentido, elenquei três análises importantes que jamais podem ser deixadas de lado. Confira:

Pense no objetivo

Vejo muitos gestores procurando produtos ou ferramentas prontas para simplificar o seu dia-a-dia. É claro que isso faz parte do processo de melhorias e é realmente importante para a área de Marketing. No entanto, nessa busca, muitas vezes o mais importante é deixado de lado: o objetivo.

Antes de sair buscando soluções, pense na raiz do problema. Responder essas perguntas pode ajudá-lo:

  • Quais são os problemas que você precisa solucionar na sua empresa?
  • Quais são as taxas que você precisa melhorar e em quanto tempo?
  • Qual é o tamanho do seu mercado/público?
  • Quais são as oportunidades de crescimento no seu segmento?
  • Quanto de investimento você tem?
  • Quanto de investimento precisará?

Com essas respostas, fica mais fácil pensar nas estratégias, ferramentas e soluções. Os objetivos precisam estar claros, detalhados e todas as decisões devem estar sempre alinhadas a eles. Lembre-se: o que o mercado está fazendo é uma referência para você, mas seus problemas são únicos e possuem suas particularidades.

Pense em conjunto

Digamos que você tenha passado por toda aquela etapa detalhada de planejamento e definição do seu objetivo. Chegou, então, a hora de escolher uma estratégia a ser seguida.

Você não quer ser influenciado pelos modismos do mercado, mas, afinal, como fazer essa escolha de forma independente quando, muitas vezes, nos vemos reféns de algumas práticas que ditam os resultados das ações de Marketing – tal como a utilização de redes sociais, por exemplo?

É possível, sim, seguir as tendências do mercado, sem deixar de levar em consideração as necessidades e objetivos específicos de sua empresa.

Um caminho para isso é pensar em conjunto e aproveitar o conhecimento existente em seu segmento. Amplie a rede de relacionamentos em sua área e troque informações com quem já tentou e teve sucesso com determinadas ferramentas e práticas – e também com aqueles que falharam. Uma dica: procure pessoas que não tenham medo de dizer no que falharam, essas sim podem realmente ensinar muito a você. Além disso, abra também as suas dores, erros, tentativas e veja o quanto você pode aprender com outras pessoas que estão no mesmo barco, mas, dessa vez, de forma muito mais aprofundada e consciente.

Caso seu network não seja muito amplo, você tem a opção de utilizar redes sociais e grupos como os do LinkedIn, que apresentam discussões que podem ajudar na sua tomada de decisão. Ainda assim, se achar tudo isso muito tendencioso, existe uma outra opção. Escolha alguns fornecedores de ferramentas que possam ser interessantes para sua estratégia de Marketing e peça autorização para conversar com os clientes dessas empresas, a fim de avaliar a qualidade dos serviços. Isso é um grande diferencial, já que alguns fornecedores de ferramentas ou serviços de Marketing divulgam cases de sucesso ou depoimentos que, muitas vezes, não condizem com a sua realidade e podem deixar a desejar para você – esse é um risco que é melhor não correr.

Pense como a outra pessoa

Algumas empresas não encontram o maior problema que estão enfrentando, possuem as melhores ferramentas do mercado, mas mal percebem que geralmente o grande desafio está no próprio público. Ter empatia não é uma tarefa fácil, principalmente quando se está envolvido há tanto tempo em um projeto com o mesmo nicho. Isso pode ser ainda mais difícil quando estamos em uma área onde não há interação direta com os leads que buscamos.

Digamos que o seu maior problema está na geração de leads ou fechamento de vendas. Antes de buscar uma solução para isso, será que o ideal não seria conhecer mais a fundo o seu público?

Para que não haja dúvidas, é fundamental conhecer de perto seu público, conviver com ele, passar um dia ao lado do vendedor, outro ao lado da área de suporte e por aí vai. Estudar e ter o conhecimento não se compara à prática e à experiência de saber como é viver um dia ao lado do seu cliente. Faça isso e, se possível, vivencie também todos os públicos que se envolvem com ele.

Por fim, para que sua empresa não seja só “outro tijolo na parede” é preciso fazer diferente. Mesmo que tiremos proveito de todos os ensinamentos e experiências de quem já está há mais tempo no mercado, precisamos analisar com sabedoria, pensar cada vez mais e fazer nossas escolhas – e não apenas seguir as dos outros.

banner clique
The following two tabs change content below.
Especialista em gestão de marketing com mais de 10 anos de experiência. Formada na área de Comunicação e com MBA em Marketing, experiência em Startups e em projetos de marketing internacionais, envolvendo países como Estados Unidos, México e Portugal.