Existem momentos na carreira de um criativo e no âmbito empresarial (OBS: todos somos criativos), em que o “branco” faz parte da rotina. Aquele momento, ou em alguns casos, aquela fase onde as ideias parecem não fluir ou acontecem com muita dificuldade.

Achamos que não somos mais bons naquilo que fazemos e pensamos até em abandonar a profissão para fazer medicina. Quem nunca?

Isso seria o famoso esgotamento ou bloqueio criativo? Sim, pode ser.

Esse “bloqueio” ou “esgotamento” nada mais é do que um momento onde fatores externos e internos influenciam na nossa capacidade de produzir ou ter conexões que nos levem a uma ideia.

 Mas o primeiro mito que precisamos desmistificar é a crença de que só quem trabalha com a criatividade, precisa ser criativo.

A criatividade é uma habilidade que vai se “desgastando” com o tempo e com as vivências. Do engenheiro ao escritor, todos precisam usar a criatividade em algum momento.

Quando somos crianças, temos todas as ferramentas que facilitam esse desenvolvimento.

Nossos pais apreciam até mesmo o desenho mais simples e “abstrato” que fazemos. E com o tempo os incentivos dão lugar as críticas, por parte dos outros e da nossa parte também.

Vamos enumerar alguns fatores que podem estar influenciando sua criatividade:

DEMASIADA AUTOCRITICA: Se pararmos pra pensar o motivo pelo qual as crianças produzem com alto nível de criatividade e em constante periodicidade é a ausência quase total de autocritica pelo trabalho feito. Duvido muito que elas pintem a parede e pensem nos aspectos estéticos da arte que fizeram. Literalmente.

Controle sua autocritica. Todos sabemos que há determinados aspectos do design, da ortografia, do bom atendimento, do marketing de relacionamento entre outros, que precisam ser respeitados. Não queremos um  texto cheio de erro de ortografia ( desculpem se tiver algum por aqui!). Mas não se atenha demais a esses detalhes, eles podem minar sua criatividade. Liberte-se de achar defeito em tudo!

VOCÊ NÃO SABE PRA ONDE IR: Não entender e não planejar o que será feito pode atrapalhar o processo. É preciso ter um objetivo e organizar as ideias antes de começar o processo de criação em si. Lembre-se de fazer um brainstorm, um jogo de conexões de palavras, rabiscar cadernos e pedaços de folha. Criar seu próprio método de organização pode te facilitar.

PESSOAL E PROFISSIONAL ANDAM JUNTOS: Antes de sermos profissionais, somos seres humanos com emoções, problemas, alegrias e objetivos. Embora muitas corporações não entendam esse fato, ele é real. E você profissional caminha junto com o que acontece na sua vida pessoal, o que não significa que você vai trazer todos os seus problemas pessoais para dentro da empresa/trabalho.

Mas sendo aceitável ou não, a morte de um parente por exemplo vai influenciar na sua produção, desde o ritmo até a qualidade e motivação do seu trabalho. Mas não se culpe. Todos temos um time e temos diversas fases em que a mente grita por uma pausa. Dê essa pausa e converse com um chefe ou um superior a respeito de alguns dias (2 dias por exemplo) e coloque mente e corpo em ordem.

Mas o único problema que não tem solução é a morte, vamos as dicas de como melhorar sua produção e sua criatividade:

1 – Vamos viver?

Nossa mente faz conexões com as informações que temos guardadas, se você não varia suas vivências, seu cérebro vai anexar sempre as mesmas informações e vai fazer “ligações” iguais. Sempre a mesma ideia, sabe?

E não é necessário uma viagem para o outro lado do planeta para variar o conteúdo que você envia para o seu cérebro. Troque o caminho do trabalho, da padaria. Leia outra modalidade de livro, assista séries diferentes daquelas que você costuma ver, experimente novas culinárias, arrisque cozinhar… Mude a rotina, conheça um pouco de tudo.

2- Dê um big mac pra sua imaginação

Alimentar nossa imaginação é um passo fundamental no processo de criação. Tudo começa lá onde as coisas se unem e tomam forma sem a poda da racionalidade. Não corte sua imaginação nem mesmo no dia-a-dia, muito menos no trabalho.

3- Seja curioso como uma criança

Sabe aquela fase em que as crianças entram no “Porque”, “Porquê”, “Por que” e “Por quê”? Elas estão despertando a curiosidade e o entendimento sobre o mundo que as rodeia. Aplique a sua realidade e seja curioso sobre tudo. Pesquise sobre assuntos que não fazem o menor sentido pra você: “Como são feitas as brocas furadeiras?”. Começamos bem.

Andrew Loh, em seu artigo publicado no site Brainy Child, escreveu o seguinte: “A curiosidade é o combustível mais crítico para o desenvolvimento geral das crianças. O poder da curiosidade ajuda as crianças a esclarecer inúmeros problemas, desenvolver e expressar ideias, resolver enigmas e, mais tarde, a usar e aplicar tudo isso em sua vida diária. A curiosidade também ajuda as crianças a explorar e testar como situações e cenários da vida poderiam ser diferentes em aspectos mais simples. Quando as crianças exploram o ambiente em torno de maneira ativa, elas podem ser as pessoas mais produtivas do mundo. Fazer perguntas desafiadoras, investigar todas as possibilidades e ter um senso de emoção e excitação também vai ajudar as crianças a tornarem-se maravilhosos inventores e inovadores”.

(Retirado do e-book Criatividade para Normais)

Para complementar:  Encontre um lugar que te inspire e te impulsione a produzir, não tenha medo de falhar, encontre tempo para não fazer nada, conviva com gente interessante e diferente e tente enxerga com os olhos de outras pessoas.

É bem provável que seu cérebro transborde de boas ideias. Boa sorte!

Dica de Leitura: http://www.criatividadeparanormais.com.br/ebook-criatividade-para-normais/

banner clique
The following two tabs change content below.

Sabrina Kelly

Mineira de Belo Horizonte, publicitária em formação, apaixonada por viagens e fotografia. É técnica em Sistemas da Informação pelo Colégio e Faculdade Cotemig e fez um intercâmbio em Jornalismo na Universidade de Coimbra, Portugal. Escreve para a Obvious Maganize, produz conteúdo para e-commerce e é criadora da Loja Virtual Feitio.