Letramento informacional posto sem contexto pode parecer novo para determinadas pessoas, todavia, o intuito aqui é mostrar que ele é recorrente no cotidiano e basta um olhar mais aguçado na sua relação aos adventos da atualidade para percebê-lo.

Diante disso, pretende-se ainda ressaltar sua aplicabilidade no marketing. Todavia, embora tenha traço bastante técnico e ser tratado por especialistas de forma mais recorrente apenas por um prisma educacional: Letramento informacional é um termo amplo que está pautado nos seguintes aspectos:

“As decisões mais eficazes dependem da competência em buscar informações de pontos de vista diferenciados, organizá-las e apreende-las, considerando a experiência pessoal, para se chegar a uma conclusão, mesmo que provisória. A esse processo sistematizado e metódico de organizar a informação denominamos ‘pensamento reflexivo’ (GASQUE, 2012, p. 18).”

A partir do pensamento reflexivo ponderado pela autora Gasque especialista no assunto, tem se o caminho para letramento informacional. Contudo, para desenvolver um entendimento de acordo com os adventos da atualidade é necessária uma explanação mais exemplificada: Em um passado não muito distante para fazer menção à alguém que possuía maior conhecimento que os demais usávamos a expressão fulano de tal é letrado.

Quem se lembra disso?

Hoje, é necessário perpassar o conceito de conhecedor de algo pelo crivo da tecnologia, uma vez que está possibilitou um volume expressivo e quiçá imensurável de informações e a capacidade do ser humano de se manter letrado nos mais distintos assuntos tem uma relação forte com a máxima paradoxal: “aquele que se julga sabedor de tudo acaba sendo, sabedor de coisa nenhuma.”

Para ilustrar é interessante a análise de uma situação do reino animal. O dito popular reforça que o pato é um experimento de Deus que não deu muito certo, e talvez ele tenha dado sim se considerarmos que o seu papel aqui na terra seja para nos mostrar em determinados aspectos a não ser como ele, logo:

O pato tenta voar, mas não consegue alçar voos altos, tenta nadar, mas sempre que está ao lado de um cisne é notório suas limitações para esse feito e não precisa ir muito longe para lembrarmos que quando é usado um termo pejorativo sobre a forma de alguém caminhar a frase é: Tal pessoa caminha como um pato!

Conclui-se que: O pato tenta realizar distintas ações, mas não possui êxito em nenhuma das três habilidades.

O pato, neste caso a pata, ainda tem ainda outra peripécia. Seu ovo de acordo com nutricionistas possui mais nutrientes que o da galinha, no entanto com seu poder de comunicação mais fraco! Seu ovo é menos consumido.

Também pudera, todos já devem ter visto uma galinha esbravejar depois que coloca um ovo.

É estabelecida então sua relação com o profissional de marketing que em meio a tanta informação propiciada pela tecnologia somada a falta pensamento reflexivo pode acabar fazendo papel de pato, visto que a infinidade de possibilidades e a velocidade que o mercado exige das ações, cria uma armadilha para quem não estiver atento na busca de dominar e fazer de tudo um pouco sem a real competência para o que se propõem.

Essa afirmação não anula a teoria que o profissional precisa saber de tudo um pouco, mas serve para trazer a discussão o fato que todos temos limitações e é inevitável aceitarmos que somos melhores em determinadas coisas em detrimento de outras.

Logo, o profissional que atua com marketing precisa nesse sentido buscar o letramento informacional para embasar suas pesquisas e assim então transformá-las em ações efetivas.

As transformações da sociedade são pano de fundo para a aplicabilidade e necessidade do letramento informacional para os profissionais de marketing. Vamos aos fatos e seu contexto histórico.

A partir do final da segunda guerra mundial, o chamado período pós-industrial foi marcado pela revolução nas formas de comunicação, contemplando então os feitos pautados na era da informação, o advento das tecnologias da época possibilitou mais acessibilidade à informação.

Assim bastava informar as características de um determinado produto ou serviço para que as estratégias de marketing alcançassem êxito.

Com o passar do tempo e mudanças econômicas notou-se que não bastava ter a informação, era necessário também adquirir conhecimento, este que só é possível com a percepção que toda informação necessita ser analisada e suas fontes averiguadas, portanto, não há para o consumidor uma verdade absoluta.

Começa a tendência de um pensamento para o marketing atualmente tratado por Kotler, et al (2010) como Marketing 3.0 que busca realizar suas ações embasadas no valor, centradas na ação humana e que se torna uma soma dos demais conceitos de marketing.

Assim os profissionais precisam ter informação, possuir capacidade de seleção das fontes, usar a tecnologia em favor do filtro correto dos dados, primar pela garantia do time da ação e ainda desenvolver a capacidade criativa.

Que vivemos a era da criatividade e da inovação não é novidade. A criatividade que significa de forma resumida conseguir pensar em algo novo, e inovação ter competência para tornar isso real!

Por essa razão parte do mantra dos profissionais de marketing é: Seja curioso, “seja pesquiseiro”, procure um olhar por um prisma que fuja o senso comum, trabalhe sua criatividade e busque ter capacidade de inovação.

Mas tudo isso sem letramento informacional pode se tornar ineficaz.

Portanto profissionais de marketing, é tempo de acrescentar novos conceitos ao nosso mantra: pensamento reflexivo, uso da tecnologia ao nosso favor, fuga dos excessos, certificação das fontes e seleção com maior critério da informação, e assim transformar o conhecimento em soluções criativas e inovadoras.

Este é o caminho que irá consolidar o letramento informacional e sua aplicabilidade ao marketing, pelo reconhecimento real do que precisa ser pesquisado e pode ser realizado diante de cada cenário.

Referencias Bibliográficas:

GASQUE, Kelley Cristine Gonçalves Dias. Letramento informacional: pesquisa,reflexão e aprendizagem. Brasília: Universidade de Brasília, 2012. Disponível em:<http://leunb.bce.unb.br/bitstream/handle/123456789/22/Letramento_Informacional.pdf?sequence=3> acessado em 03 de Abril de 2016.

KOTLER, Philip; KARTAJAYA, Hermawan; SETIAWAN, Iwan. Marketing 3.0: as forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano. São Paulo: Elsevier Campus, 2010

banner clique
The following two tabs change content below.

Tercia Duarte

Graduada em Hotelaria, especialista em Marketing e em Letramento Informacional é Professora Universitária nos Cursos de Publicidade, Administração, Hotelaria &Turismo. Possui um Blog de publicação semanal da Revista Ludovica sobre comportamento na era digital. Mãe do Fernando desde 2009.

Latest posts by Tercia Duarte (see all)