A Gestão do Conhecimento hoje é uma parte fundamental para a  competitividade de uma empresa. Afinal, através dela se perpetua o capital intelectual da organização, multiplica e expande o que cada pessoa sabe, diminuindo as ilhas de conhecimento, e potencializa a capacitação dos colaboradores.

Esses três fatores que citei acima, permitem com que a empresa organize melhor seus processos, identifique pontos de melhoria, crie soluções inovadoras e assim leve ao mercado produtos e serviços cada vez mais competitivos.

Mas, por que uma estratégia de Gestão do Conhecimento pode não estar dando certo? Bom, eu enxergo três prováveis causas para esse problema.

O primeiro é o patrocínio. O patrocinador é aquele cara que compra a ideia de se montar uma estratégia de Gestão do Conhecimento, que motiva o seu grupo a compartilhar o que sabe, dentro e fora dele. Se o gestor não comprar a ideia, se ele não enxergar a importância desse trabalho para a organização, os colaboradores abaixo dele hierarquicamente também não o farão.

A entrega deve vir de cima, do gestor, de maneira contagiante, senão nada feito. A Gestão do Conhecimento passa a ser mais um trabalho a ser feito dentro de uma rotina muitas vezes apertada. Isso nos leva à segunda causa, a falta de motivação.

Ok, você é um gestor que está entusiasmado com a Gestão do Conhecimento, mas não consegue passar essa empolgação para seus colaboradores.

A falta de motivação para que as pessoas não pratiquem a Gestão do Conhecimento pode estar ligada a falta de um escopo bem definido. As pessoas sabem por que devem compartilhar o que sabem? Sabem quais as vantagens que isso pode trazer para o negócio da empresa e para o desenvolvimento delas próprias?

Pois é, se isso não está bem claro na cabeça das pessoas, a coisa não acontece, afinal é complicado você fazer sem ter uma noção clara de por que está fazendo aquilo. Desmotiva e se perde o interesse, passa-se a ver como algo que compete com as atividades de processo de trabalho, ao invés de uma complementação.

Agora, se você é um gestor motivado e que consegue passar a ideia e convencer seu grupo a desenvolver a Gestão do Conhecimento, e mesmo assim a coisa não anda, então chegamos na terceira causa provável, a comunicação.

As pessoas sabem exatamente como a Gestão pode e deve ser feita? O estímulo chega de maneira adequada até os colaboradores? Essas perguntas são fundamentais para que a estratégia funcione. Essa comunicação pode ser feita em uma reunião de flow down, em fóruns presenciais de comunidades de prática, workshops e outras tantas opções. Uma ideia seria ter uma pessoa focada na comunicação ou se alinhar com a área de Comunicação Interna. O uso do endomarketing nesse caso é algo muito importante para fazer com que os colaboradores entendam e comprem a filosofia da ideia de se ter uma estratégia de Gestão do Conhecimento.

Um gestor motivado, que consegue levar a ideia por trás da estratégia e fazer os colaboradores participarem e compartilharem seus conhecimentos, com certeza terá uma Gestão do Conhecimento bastante eficaz e que gera bastante resultados.

E aí, como está sua estratégia de Gestão do Conhecimento? Que tal fazer uma reflexão para ver se ela atende esses pontos chaves?

banner clique
The following two tabs change content below.

Marcelo Oliveira

Jornalista e entusiasta da Gestão do Conhecimento e Inovação. Focal Point de inovação na EMBRAER, coordenando atividades de captação de ideias e ministrando treinamentos de Inteligência Coletiva/Inovação Incremental e de introdução a ferramentas de captação de ideias, para fomentar a cultura de Inovação. Freelancer em comunicação e marketing na H2M Comunicação & Marketing. Acredita que a cultura da inovação abre portas, as quais podem mudar não só processos, produtos e serviços, mas principalmente a visão de mundo das pessoas!