Não me lembro ao certo a data e o evento (talvez no lançamento do Graph Search), mas há anos atrás, Zuckerberg disse que o Facebook seria a “Internet dentro da Internet”. De lá pra cá, muita coisa mudou, mas a ideia fica cada vez mais evidente: um lugar onde você busca e vê tudo, seja notícias dos assuntos que gosta, novidades e fotos dos amigos, anúncios, gifs, vídeo, transações bancárias e até um assistente pessoal, sem precisar sair da rede. Já falei sobre a evolução do Facebook e como ele deixou de ser uma rede social algumas vezes aqui no Ideia, e você pode ver esses artigos aquiaquiaqui e aqui.

Um(a) namorado(a) ciumento(a) (e rico[a])

Passa mês, entra mês, mudanças e novas features na rede do Zuck deixam claro que o “feice” é tipo a(o) namorada(o) ciumenta(o) que não quer te ‘dividir’ com ninguém e quanto mais tem sua atenção, melhor. Nem que para isso ela precise imitar os concorrentes (só para dar alguns exemplos: vídeos curtos no Instagram depois do sucesso do Vine, hashtags com sucesso mais que comprovado no Twitter, vídeos, sugestões e anúncios como no Youtube). E isso é uma das coisas que eu mais admiro no Facebook, ele não tem problema nenhum em copiar e aprimorar – e se for preciso, comprar (Instagram, Oculus Rift, WhatsApp, só pra citar as grandes aquisições) – Por essas e outras coisas que o Facebook vale mais de US$300 BILHÕES (e subindo).

Pensando na próxima onda

Com todo o conhecimento (e informações) adquiridos desde 2004 (sim, uma empresa que não tem 15 anos vale mais que praticamente toda a bolsa junta), prever as próximas tendências fica mais ‘fácil’. E toda conferencia do Facebook (chamada de F8) fica claro como eles realmente utilizam as informações de forma a pensar no próximo passo. Quando anunciou a compra da Instagram, falou do “boom” de fotos que viria a seguir (hoje, mais de 40BI, QUARENTA BILHÕES de fotos já foram compartilhadas), depois, com a compra do WhatsApp e separação do Messenger como plataforma, a fase dos chats, ligou o alerta para as transações informais que acontecem via facebook/Instagram com os pequenos negócios incluindo a possibilidade de transferências de pequenos valores pelo messenger e nos últimos meses, uma serie de iniciativas relacionadas a videos, que será o conteúdo mais consumido nos próximos anos. Surfando na onda dos Ad Blocks, anunciou o InstantArticles, que carregam antes mesmo de você pensar neles (e que experiência boa!) e na quarta (11/11/15) anunciou o Notify, um feed que vai informar as notícias novas de acordo com seus interesses e, caso você tenha curiosidade de ler, te manda direto para o app onde ela foi publicada).

E claro, já está montando a estrutura para as próximas bolhas: Deep learning e Realidade Virtual. Caso você ainda não tenha visto, saiba que o Facebook quer lançar uma espécie de ‘teletransporte’, utilizando realidade virtual até 2025. E se você acha que a Siri e o Google Now são legais, veja esse vídeo do Visual Question and Answering (e para mais informações disso, clica aqui) .

Visual Question and Answering DemoEarlier this year, we showed some of our work on natural language understanding — specifically, a system called Memory Networks (MemNets) that can read and then answer questions about short texts. In this demo of a new system we call VQA, or visual Q&A, MemNets are combined with our image recognition technology, making it possible for people to ask the machine what’s in a photo.

Posted by Facebook Engineering on Tuesday, November 3, 2015

Sem medo e com muita velocidade

Seja com o Facebook Creative Labs, comprando outras empresas ou fazendo os seus funcionários passarem por situações que os usuários passam no dia a dia, como a implementação da “2G Tuesdays”, um dia em que todo o escritório fica com seus devices simulando a conexão como é na Índia ou ainda fazer seus funcionários trocarem iOS por Android, o Facebook segue transformando seu produto baseado nas informações que acumula a cada dia, mantendo uma velocidade considerável. Apesar de ser o básico (até porque é para isso que qualquer site implementa o Google Analytics ou qualquer outro analytics da vida, para analisar e trabalhar as informações acumuladas), o Facebook segue dando uma aula em como utilizar as informações, seja criando novas features, oferecendo mais segmentações aos seus clientes ou se antecipando as próximas ondas. Nota 300 (Bilhões) para Zuck e sua trupe.

 

banner clique
The following two tabs change content below.

Arthur Castro

Respira Mobile e inovação. Sempre conectado com algum iGadget, é exemplo vivo dessa geração "alguma letra". Além de escrever aqui e em outros blogs, é palestrante e passa os dias criando apps.