Quando se tem dias atarefados, falar com as pessoas que estão fora daquele momento específico das tarefas se torna algo impossível. Parece que o dia-a-dia nos torna apenas projetos em andamento. Não é possível perder um segundo sequer com uma pessoa que não faz parte daquele projeto. E quem tem vários projetos ao mesmo tempo?

 Comunicar-se de forma eficaz passa a ser indispensável e faltar com a comunicação, se torna insuportável. Viver na pele a ausência de uma pessoa importante é complicado; e ser a pessoa que está ausente é pior ainda! Então o que fazer?

Tive meu primeiro telefone celular no final dos anos 90. Para a minha geração, isso foi bem cedo. Para a geração baby boomer, o início dos anos 90 foi o momento de entrar em uma fila de espera, para poder ter um telefone celular. Antes disso, já eram “acionistas” dos seus telefones fixos, e isso rendeu uma boa poupança, alguns anos depois.

Atualmente, viver sem um telefone celular é uma confusão sem tamanho, e falar ao telefone, muitas vezes é uma exceção, pois os métodos de comunicação com ele são incontáveis. Os aplicativos, os grupos, as redes sociais, a internet 4G, entre outras facilidades que entregam a oportunidade de se comunicar, verbalmente ou não, em qualquer lugar é algo que não podemos mais viver sem.

Não faz muito tempo, recebi um puxão de orelha do meu orientador de mestrado porque meus contatos não estavam ativos: “Como um profissional de comunicação pode estar incomunicável? Reveja isso, hein!?” Tive o dissabor de ter meus dois e-mails em manutenção de servidor ao mesmo tempo, bem no momento em que meu professor estava precisando falar comigo de forma emergencial. Como tenho o hábito de manter o telefone no modo silencioso, também não pude atendê-lo, ao mesmo tempo que, fora do meu controle, o telefone estava com algum problema com o aplicativo de mensagens rápidas.

Estamos vivendo uma era que mistura as gerações acostumadas a se comunicar de formas bem diferentes, dos baby boomers à geração milenial, até mesmo a novíssima geração que ainda não tem nome, mas que já se comunica de forma incrível e já está sendo impactada por qualquer formado de comunicação.

Como compreender o formato que cada profissional se comunica é o desafio dos gestores, gerentes e diretores de empresas, pois muitas vezes, a criatividade, o dinamismo e diversas das qualidades que podemos enxergar em muitos profissionais (de várias gerações) só estão arraigadas nas suas personalidades pelo seu jeito de se comunicar.

Ler diversos jornais durante o café da manhã, verificar as planilhas e os relatórios até o meio do turno, realizar reuniões durante o almoço e elaborar as tarefas no início da tarde, para complementar as ações até o início da noite. Este já foi um hábito diário de um excelente profissional; atualmente, não necessariamente seja a melhor forma de organizar as tarefas. Hoje, o profissional é multi, o celular, o notebook, o tablet e outros gadgets são ferramentas de trabalho; verificar as notificações deles – de certa forma – é uma tarefa que pode impactar nas decisões, na criatividade, na forma de executar o seu trabalho o tempo todo.

Ainda cabem muitos estudos sobre os hábitos das novas gerações, mas certamente o que funcionava perfeitamente antigamente, hoje não passa de um modelo a ser analisado. E você, como lida diariamente com a sua comunicação?

banner clique
The following two tabs change content below.

Jonatan Fortes

Consultor Empresarial
Consultor empresarial, Diretor de Marketing da Fonte de Talentos (RS). Mestrando em Desenvolvimento Regional, onde busca conhecimentos visando aplicar na geração de talentos. Acredita no poder da comunicação e atua na promoção e desenvolvimento de empresas e talentos para o crescimento coletivo.

Latest posts by Jonatan Fortes (see all)