Recentemente li uma história de superação digna de um filme vencedor do Oscar. Era uma verdadeira passagem de superação, recheada de reviravoltas, lotada de portas fechadas e ainda por cima com bastante emoção, falta de grana e desapego de coisas (talvez, não) materiais. Ao mesmo tempo, por trás dessa história está um dos personagens mais adorados (e odiados) do cinema, que se tornou uma persona de si mesmo – por onde passa, deixa sua marca pessoal, sem esforço algum.

A vida de Sylvester Stallone, e o os acontecimentos que ocorreram para que ele se tornasse o mito, não está somente agora disponível na internet; uma pesquisa rápida nas redes sociais e no Google remonta há quase uma década atrás, – talvez até mais tempo – onde a superação como antídoto para a estagnação da carreira do ator estão à disposição de qualquer interessado.

Não é de hoje que as frases do filme Rocky (1976) são utilizadas em palestras, treinamentos, cursos de gestão, pós-graduações e MBAs. E não é a toa que tantos exemplos são apresentados no filme, em diversas aparições do autor (o próprio protagonista) sempre enaltecendo a superação como elemento essencial do desenvolvimento pessoal.

Há poucos dias, organizando papeis, relembrando algumas lições da graduação, e relendo alguns trabalhos que fiz, encontrei anotações de um professor que muito me marcou na minha formação. A frase que ele sempre dizia: “O segredo está em tirar a bunda da cadeira…” era como um mantra, e não bastava ser mencionada aleatoriamente na sala de aula. As lições estavam sempre explícitas durante os conteúdos da cadeira de Marketing Pessoal, onde a ATITUDE e o EMPENHO eram os dogmas necessários para qualquer resultado a partir dali.

Na história do Rocky, ele superou cada desafio, e aquilo era apenas reflexo da vida que o autor (Sylvester Stallone) levava. Depois de muitas portas fechadas, vender as coisas de casa para pagar contas, até mesmo vender o próprio cachorro (sim, ele vendeu! E depois de ganhar dinheiro com o filme, recomprou, por cerca de 600 vezes mais), porque não tinha como alimentá-lo e nem mais onde morar – depois de muito sacrifício e força de vontade – conseguiu não só vender o seu roteiro como estrelar o filme, ganhando com isso três estatuetas do Oscar, dentre elas, a de melhor filme, além de ter sido um dos indicados como melhor ator pela academia.

O ensinamento retirado da história de vida do Stallone é parecida com muitas outras que vemos por aí. Talvez a dele seja mais famosa, mais romântica (afinal, teve o cachorro!), talvez, até mesmo mais sofrida – com direito a dormir na rua e não ter comida, saquear a própria esposa, enfim – porém, se não fosse uma percepção aguçada do que estava em volta, vontade de realizar, atitude de “tirar a bunda da cadeira” e agir, e depois de tudo, valorizar a sua ideia e o seu potencial, nenhuma página da atual história do ator estaria sendo reconhecida e recontada por diversas partes do mundo. Para completar a lição, termino este artigo com uma das frases mais impactantes do personagem, que é repassada por muitos professores por aí a fora:

“Ninguém vai bater tão forte em você quanto a vida.

Só que não se trata de quão forte pode bater, o que importa

é o quanto você apanha e consegue seguir em frente.

É assim que é possível vencer.” – ROCKY BALBOA

Acesse a história sobre o roteiro do filme Rocky nesse link: http://bit.ly/1K0qE2p

banner clique
The following two tabs change content below.

Jonatan Fortes

Consultor Empresarial
Consultor empresarial, Diretor de Marketing da Fonte de Talentos (RS). Mestrando em Desenvolvimento Regional, onde busca conhecimentos visando aplicar na geração de talentos. Acredita no poder da comunicação e atua na promoção e desenvolvimento de empresas e talentos para o crescimento coletivo.

Latest posts by Jonatan Fortes (see all)