Como sabemos, estamos vivendo em tempos de crise, e um dos setores que está sofrendo pouco com o período é o setor de turismo, que mesmo com o dólar lá em cima, é um segmento que continua aquecido. Eventos como as Olimpíadas e a visibilidade adquirida com a Copa do Mundo vêm atraindo mais gente de fora para o Brasil. Só em 2014, empresas como agências de viagem, hotelaria e empresas aéreas geraram um montante de R$200 bilhões, 14,5% a mais que 2013. A expectativa para este ano é de 10% em relação a 2014, um pouco menos, mas em vista do período de crise, ainda é um número bom.  Só o mercado de viagens corporativas correspondeu a R$14,9 bilhões deste valor, o que mostra que este segmento vem crescendo a passos largos.

Observando este aumento, instituições como Mice Brasil Consulting e Embratur começaram a realização de workshops de capacitação em vários municípios, afim de preparar o trade para recepcionar este público, melhorando o atendimento do setor hoteleiro, o comércio, guias, companhias aéreas, e etc. Este público busca um atendimento diferenciado em vista do seu alto poder aquisitivo, e a empresa de turismo que souber enquadrar sua equipe no formato ideal do turista de negócios, com certeza sairá na frente.

O perfil do turista de negócios

De acordo com uma matéria divulgada pelo Mundo do Marketing, estes eventos já vem sendo realizados em alguns locais inusitados, como Ilhabela, que é um ponto característico de lazer, e já recebeu um congresso de medicina há um tempo atrás. Lembrando que o turista de negócios é um tipo de cliente mais exigente, pois muitas vezes está viajando porque foi premiado por alguma ação em sua empresa. O desafio aqui é atender as expectativas dele, fazendo com que ele tenha experiências incríveis e satisfatórias. Este grupo de turistas é, em sua maioria formado por pessoas cultas e elitizadas, exigindo vivenciar a cultura local por meio das experiências oferecidas pelos hotéis, agências e guias de viagem.

Ofereça a eles roteiros inusitados, com temas sociais, educativos e relacionados à empresa e/ou cargo que ele ocupa dentro da empresa que lhe possibilitou a viagem. Elza Tsumori, consultora associada da Mice Brasil afirma que algumas vezes há procura por parte dos turistas de negócios para visitar locais que não estão nos roteiros comuns – e cabe aos agentes e demais responsáveis saberem lidar e se adequar a isso. As aulas e cursos de capacitação oferecidos pela Embratur já são direcionadas para esses perfis, de modo a gerar insights de produtos e serviços personalizados para este cliente tão especial.

E você, já pensou em ter algo personalizado para os seus clientes corporativos? Tem alguma dúvida? Vou ficando por aqui e até a próxima!

banner clique
The following two tabs change content below.
Publicitária, trabalha com assessoria e gestão da imagem de marcas, produtos e pessoas em Tati Fanti - Gestão da Imagem. É também colunista nos portais MMA Premium e Bjj Girls Mag. Acredita no poder das pessoas e na arte da comunicação como ferramenta de transformação.