Um guia de estilo estabelece uma linguagem comum para designers, desenvolvedores, gerentes de produto, marketing e agências de apoio externas. Ele também é um must-have para trabalhar em consistência em seu produto digital em torno de todos os seus canais de mídia.

Obviamente, pode ser complicado para fazê-lo da maneira certa e encontrar o equilíbrio certo entre equipe de criativos e necessidades da equipe técnica. E isso pode se tornar um desafio para o gerente de projetos.

Pensando nisso, vou, através da minha experiência com ambas modalidades de equipes, disseminar algumas poucas dicas buscando ajudar a tornar essa metodologia uma ferramenta de gestão que pode te surpreender.

Bora lá:

1- Criar um projeto em co-criação com a equipe

O que você quer alcançar como uma equipe? Às vezes é difícil motivar as pessoas a colaborar em uma estratégia de longo prazo por não entrar em ressonância com o que estão fazendo em uma base diária.

A criação de um Guia de Estilo é um bom exercício para começar a criar seu projeto de equipe. Os membros da equipe vão colaborar em algo que vão usar todos os dias. Eles vão começar a olhar para o estilo do produto como uma peça consistente de projeto entre os mais variados projetos e equipes. E eles terão que tomar decisões em conjunto e ter orgulho do resultado, porque – obviamente – terão que usá-lo depois.

 2- A equipe como diretor criativo

Com um Guia de Estilo claro, não é só a opinião do diretor de criação que conta mais. A equipe tem em mente questões que impactam diretamente no resultado e qualidade do projeto. É compatível com o Guia de Estilo? É compatível com outros projetos?

Se você organizar as revisões de projeto com sua equipe de projeto, seus designers irão sentir a necessidade de se envolver nesse processo para certificar-se de que cada projeto é consistente com o que foi previamente definido. Agora, a equipe tem uma ferramenta para trabalhar autonomamente e ser auto-organizada em torno do estilo definido.

 3- Trabalhar de forma mais rápida e eficiente

Assim que o seu guia de estilo é definido, você pode criar ativos compartilhados para a equipe. Criar ícones da biblioteca, paletas de cores, estilos de fonte, etc. Certifique-se que todos tenham acesso a este conteúdo. Então você pode criar interfaces de utilizador padrão em softwares de projeto de sua equipe para acessar esses ativos muito rapidamente.

Agora é realmente fácil de arrastar um ícone, aplique a cor certa ou escolher um tamanho de fonte. Dessa forma, o processo de trabalho da sua equipe vai mais rápido e de forma mais certeira. Agora você pode construir uma alta mock-up fid em minutos! E ninguém nunca vai perder tempo criando novamente um ícone que já está disponível.

4- Foco na experiência, não no estilo

Agora você tem tudo no lugar, haverá menos conversas em torno dos aspectos visuais. Sua equipe pode agora passar mais tempo fazendo a pesquisa do usuário, protótipos interativos, mais iterações em um projeto. E é aqui que o valor da sua equipe é UX.

 5- Um frame que atende todos tipos de designers

Quando você tem designers com incríveis habilidades de criação visual, eles às vezes são muito difíceis de ‘conter’. Eles buscam melhorar o produto e têm sede de expressar seu talento em cada projeto.

Isso, de certa forma, pode acabar matando a consistência de seu produto …

Com um Guia de Estilo claro, eles têm um campo de jogo. Eles não podem “re-inventar” o que já está definido.

Tenha cuidado para não esmagar sua criatividade com um Guia de Estilo – ou qualquer outro tipo de ferramenta de apoio. Realmente designers criativos são ativos brilhantes em uma equipe. Um guia de estilo está aqui para dar algumas orientações, mas ele não tem que definir tudo. Você precisa buscar o equilíbrio certo entre ter tudo definido e ter espaço suficiente para ser criativo. Além disso, certifique-se de que você tem momentos de reavaliar a relevância do Guia de Estilo e envolver seus melhores DA’s  nesse processo.

Você também pode ter designers em sua equipe que são melhores em trabalhar na arquitetura da experiência do usuário. E quando se trata de atingir excelência em criação visual, eles estão lutando sempre. Mas em pequenas equipes, todo mundo tem que fazer tudo muito bonito. E você não pode ter sempre alguém 100% dedicado à parte design visual do projeto.

Ter um “Styleguide” irá ajudá-los a produzir melhores projetos. E de certa forma, não só incentivar a melhora das habilidades desses caras, como evitar desmotivá-los com feedbacks não tão positivos (seja seu, ou de outros superiores).

6 – Trabalhar além das plataformas estabelecidas

Definindo seu estilo como um todo é também uma boa chance de trabalhar em consistência entre plataformas e canais. Dúvidas como: este componente pode ser o mesmo em app? Se sim, podemos re-utilizar o mesmo elemento? Ajudam a trabalhar além dos limites estabelecidos.

A resposta à esse tipo de questão, acaba criando uma nova instância do seu componente. É um bom lugar para começar a falar sobre o que pode ser consistente e o que tem que ser específico para cada plataforma.

Se sua equipe é organizada pelo dispositivo ou canal, um guia de estilo irá ajudá-los a colaborar e conversar entre os projetos. E ter um estilo consistente em todos os canais é uma peça do quebra-cabeça para criar uma experiência de usuário consistente e suave.

8- Sua equipe cria um olhar mais profissional e um convívio mais dinâmico

Trabalhar em um Guia de Estilo e organizar seu conteúdo também é se colocar no lugar dos desenvolvedores. Você vai ter que entender o que faz um pedaço de UI (user interface) um componente reutilizável. Você vai pensar em seu site – por exemplo –  como um conjunto de módulos. Isso fará com que o seu estilo e seu código de front-end seja mais utilizável e de fácil manutenção. E sua equipe de projeto vai (quase) falar a mesma língua que a equipe de desenvolvimento. Parece até milagre!

Ao mesmo tempo, a partir do exterior (e de um ponto de vista de gestão), sua equipe vai demonstrar a sua capacidade para se organizar, de forma eficiente e profissional.

Além do que, você não precisa de um Guia de Estilo interativo perfeito para começar. Você pode começar com uma folha de estilo simples, e buscar reavaliar e atualizar frequentemente. Um Guia de Estilo é um bom ponto de partida e uma boa ferramenta de gerenciamento de projetos. Mas é importante também dar alguma liberdade para sua equipe. É o seu trabalho encontrar o equilíbrio certo!

banner clique
The following two tabs change content below.

Marcella Gielfi

Entusiasta da gestão do conhecimento, CAPM e White Belt, atua com foco em gestão de equipes e projetos digitais, integrados e multi-plataformas, além de consultorias na área e curadoria de conteúdo.