O termo cool hunting, para quem não sabe, é um termo do marketing que surgiu nos anos 90, e sua função principal é, basicamente, a observação das pessoas e do mundo, com o objetivo de definir novas tendências, baseando-se na análise de comportamento delas. Essa prática acaba, por muitas vezes ficando em segundo plano pelas empresas, ou a função muitas vezes é contratada por uma agência de publicidade que tem esse tipo de profissional. Não só no mundo da moda como em qualquer outro ramo, o Cool Hunter se faz importante no sentido de prever mudanças de comportamento dos clientes, bem como nortear ações para acompanhar o movimento do seu público alvo. Hoje listei alguns tópicos bacanas sobre o cool hunter e como fazer para usar a função em favor do crescimento dos seus negócios. Boa leitura!

Cool hunter: O que é

O cool hunter tem como objetivo prever tendências e buscar inovações dentro de um nicho ou de uma empresa. Mais do que descrever mudanças nos comportamento dos consumidores, o objetivo é entender os acontecimentos que explicam as mudanças, buscando assim distinguir fenômenos de caráter passageiro ou duradouro. O cool hunter é por si só um profissional dotado de senso crítico e curiosidade, é um pesquisador ávido e sensível para prever situações e tendências que virão num futuro próximo, com base também em ações e eventos que acontecem no presente. Esse profissional geralmente trabalha em empresas de pesquisa, em departamentos de criação e desenvolvimento de produtos ou em agências de publicidade. Ele também pode ser reconhecido pelos termos “trend designer”, ou “pesquisador de tendências”, até mesmo para fazer a diferenciação de pessoas que não tem experiências no ramo.

Por que minha empresa precisa de um cool hunter?

A função é importante, porém não significa que você tenha que contratar um profissional do ramo. Cool hunter trata-se de um comportamento, de uma conduta, cujo responsável pela função cuida de pesquisar em livros, revistas, eventos, internet e em todo lugar que for externo por tendências de consumo, experiências de compra e etc.  E isso vale para qualquer segmento: as empresas de turismo, por exemplo, precisam de um cool hunter para pesquisar e descobrir tendências de viagens, tecnologia e inovação para saber sobre o que os turistas estão pesquisando para viajar, como estão pesquisando, o que procuram e a forma que procuram. Com esse profissional trabalhando pra você (ou você se tornando um), ficam mais fáceis e certeiras as tomadas de decisões, pois o seu negócio vai ter um norte para direcionar suas promoções, produtos e ofertas com base nas previsões que o cool hunter trouxer de fora.

O que eu preciso para ser um cool hunter?

É preciso curiosidade estratégica, empatia e também bastante intuição. Há alguns cursos livres e no exterior, pós graduações na área, mas basicamente, pode ser qualquer pessoa observadora, que gosta de estar ligado e se interessa por comportamento.

Para Carolina Gauche, designer e produtora de moda, o cool hunter, mais do que um mero pesquisador, precisa ser observador, precisa estar atento não só ao que acontece no cenário atual, mas no que já aconteceu e no que pode acontecer, afim de prever tomadas de decisões dentro das empresas.

Vale lembrar que a função do cool hunter é diferente da pesquisa de mercado, onde existe uma pesquisa específica para um público específico. Mais do que simplesmente saber a opinião do target sobre determinado assunto, esse profissional observa as experiências e comportamento de consumo para poder fazer previsões e auxiliar na tomada de decisões estratégicas da empresa.

E aí, gostou do assunto? Ficou com alguma dúvida? Deixe nos comentários, suas dúvidas podem ser alvo de mais um post por aqui! Até a próxima!

banner clique
The following two tabs change content below.
Publicitária, trabalha com assessoria e gestão da imagem de marcas, produtos e pessoas em Tati Fanti - Gestão da Imagem. É também colunista nos portais MMA Premium e Bjj Girls Mag. Acredita no poder das pessoas e na arte da comunicação como ferramenta de transformação.