A crise existe. Melhor: ela sempre existiu. Interna ou externa, ela está ali, esperando um colapso ou uma ruptura de comportamento e estratégias. A realidade é esta que você vive, com seus demônios e anjos todos os dias. Você os abraça de acordo com suas escolhas. Estas que, por muitos motivos, podem diminuir sua produtividade e colocar uma corda em seu pescoço, sem necessidade. Não se preocupe, o suicídio empresarial (e por que não falarmos em pessoal?), pode passar bem longe, se atentar à algumas dicas.

Os tópicos virão através de perguntas, afinal, se não questionarmos, não evoluímos.

O insight implícito é que a liderança pode ser entendida como um serviço que os funcionários de uma organização “compram” ou “não compram”. Mas liderança não é isto. Ou, não pode ser visto como um serviço. Ela é uma arte, e como todas as artes, precisa atrair seguidores e influenciar de forma positiva mentalidades e comportamentos.

ELIMINE

Que ações os líderes investem tempo e inteligência poderiam ser eliminadas? Aquela “sobra” no final do dia que você percebe que não precisava. Abnegação. Em seu mundo de atividades, identifique elementos que não têm sido sadios para o bum fluir das ideias. Este elemento pode ser um objeto de sua mesa, um gasto excessivo ou até uma pessoa que não esteja dentro das normas e diretrizes de sua equipe.

REDUZA

Que ações e atividades poderiam ser reduzidas bem abaixo do nível atual? Ao invés do desespero, opte por respirar. Valorize o humanitarismo. Dedique-se ao que faz pulsar o seu coração, não só porque te mandaram fazer.

AUMENTE

Que ações e atividades poderiam ser incrementadas bem acima do nível atual? Pensando nesta pergunta, um dos tópicos interessantes para observação são as pessoas com que trabalha. Qual é a realidade emotiva dos seus funcionários? Há comprometimento ativo? Envolva-se e conheça-os mais. Marque um café com cada um, ouça suas opiniões e reveja juntos conceitos que antes não tinha visto.

CRIE

O que atualmente realizam? Tem sido pertinente? Foque nas atividades e atitudes: durante muitos anos, inúmeras pesquisas produziram resultados sobre valores, qualidades e estilos de comportamento, que formam a boa liderança, com a base de programas de desenvolvimento e de aconselhamento executivo. Procure ajuda! Ouça seus colegas. A criatividade sempre terá um start no que é simples e agradável. Talvez uma só palavra que você lê em uma frase ou ouve em uma música, por exemplo, pode iniciar uma jornada incrível de criação.

O crescimento profissional não deve ser uma coisa maçante, chata. Mas de princípios próprios; valores dos quais não abrimos mão. Crescer é produzir, como exposto no artigo “3 passos para o crescimento profissional”.

A satisfação precisa ser a do cliente, e não a do chefe. Os líderes de todos os níveis relatam sentir-se menos estressados, mas energizados por sua capacidade de agir e mais confiantes de que contribuíram efetivamente para a empresa.

Mudanças são necessárias – não só por uma crise -, por isso, o replanejamento não pode ser visto como a beirada do abismo ou a diminuição súbita e geral da sua energia. Conflitos, escassez e ataques serão driblados por posturas mais maduras e divertidas. Sim, porque de nada vale se encararmos este mundo com a cara emburrada, não é verdade?

banner clique
The following two tabs change content below.
Essa coisa de definir coisas... Escritor, professor, colunista e curioso. Produzindo o terceiro e-book. Licenciando em Filosofia, com foco nas artes e comportamento. Não vive sem séries - e dramas. Melancólico e péssimo de cozinha. O 2º livro #AConstrucaoDoOlhar PDF free aqui ó: bit.ly/aconstrucao | Vídeos sobre os livros em youtube.com/user/arthiebarbosa