A análise da publicidade é muito interessante porque revela muito do tempo em que está inserida. As publicidades antigas nos surpreendem apresentando um comportamento de consumo totalmente diferente do que temos hoje, muitas vezes manifestado em um curto período de tempo. Os estereótipos, que são padrões por definição, mudam!

A campanha de dia dos namorados do Boticário tomou grandes proporções, mas está longe de ser um caso isolado. Axe, Danone, Coca Cola, Youtube entre tantos outros também tiveram em suas campanhas protagonistas gays, Magnum optou por transexuais, Diesel estampou a modelo com vitiligo, modelos andrógenos fazem sucesso nas passarelas. A lista de marcas e produtos apoiando as diferenças é longa!

Estamos vivenciando uma revolução social pautada por uma tendência de valorização do diferente, do hibridismo, que ao ser explorada pela publicidade causa certo desconforto em parte da população, natural quando há uma quebra de paradigmas. É a publicidade cumprindo seu papel, revelando a pluralidade do momento! As marcas apoiam estes movimentos, pois percebem que eles seguem, na maioria das vezes, um caminho sem volta. Assim, elas “dão a cara a bater”, se mostrando atualizadas, abertas, inovadoras, transgressoras, ousadas, autênticas. São marcas que apoiam uma sociedade tolerante e assim como são criticadas, são muito valorizadas por isso.

São os novos perfis de consumo ditando a moda, os produtos e a comunicação!

banner clique
The following two tabs change content below.

Caroline Trapp

Gerente de vendas
Publicitária e sócia-proprietária na AnimA Estratégias em Relacionamento. Estuda comunicação, marketing e comportamento de consumo, vê no relacionamento o diferencial de marcas e negócios!