E a injeção de ânimo, já tomou?

E a injeção de ânimo, já tomou?

Recentemente, o governo vem trabalhando campanhas de vacinação para que a população possa ficar com a imunidade em dia. Mas hoje, não venho falar desse tipo de antídoto, mas sim de motivação. Afinal, todos nós precisamos em vários momentos de nossas vidas para ter forças e ir adiante.

Muitas vezes não conseguimos identificar nosso real valor para traçar metas e alcançar nossos objetivos. Encontramos obstáculos e no meio do percurso, precisamos recordar alguns conceitos. Lembre-se: uma nota de 100 reais vai continuar valendo 100 reais se for amassada e pisoteada.

Em todos os ambientes que convivemos diariamente, como o de trabalho e o nosso próprio lar, a injeção de ânimo pode ser dada em pequenas doses. Por exemplo, se trabalhamos em um lugar seguro, que nos proporciona estabilidade, conseguimos executar nossas tarefas com entusiasmo. Quando nos deparamos com dificuldades, os envolvidos precisam se sentir importantes para conseguir resolver as pendências.

Outros pontos que vão favorecer muito são a gratidão e o reconhecimento. O sentimento que vem à tona, quando temos um trabalho reconhecido é o de bem-estar. Pode parecer meio óbvio, mas é o que faz a diferença.

Robert Dilts, grande nome da Programação Neurolinguística modelou as estratégias criativas de grandes gênios, como: Einsten, Mozart, Nikola Tesla, Leonardo da Vinci, Sherlock Holmes e de Walt Disney, que é um dos exemplos mais bacanas que acho.

Walt Disney tinha algumas iniciativas que ajudavam em seu sucesso. Ele primeiro pensava. Para muitos, é algo extremamente chato e cansativo. Mas é em nossa mente onde podemos vislumbrar o resultado final dos nossos sonhos. Ele também acreditava. Em uma citação, ele compartilhou: “Antes de ser um autor publicado ou um empresário bem-sucedido, eu tinha que acreditar em mim muito antes de qualquer outra pessoa”.

O sonho fazia parte da estratégia de Walt Disney. Sonhar com o impossível. Já ouviu aquela frase que diz “mire na Lua para acertas as estrelas”? Pois é, ele disse o seguinte: “Apesar de já estar em minha quinta década aqui no planeta terra, ainda me pergunto: O que quero ser quando crescer?”. Por último, ter ousadia. Precisamos arriscar mais, acreditando em nosso potencial. Só assim conseguiremos alcançar o sucesso tão esperado.

E você, o que te motiva? O que não pode faltar na sua dose diária da injeção de ânimo?

0

Alison Marques

Viciado em compartilhar conhecimento. É Especialista em Linguagens e Mídias Digitais, jornalista, palestrante e social media.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *