Nada dura para sempre, nem da mesma forma, caro leitor (a), e isso não é necessariamente pessimista. Sendo a mudança uma das certezas na vida, seja por escolha ou por obrigação, devemos nos preparar para enfrentar os desafios que certamente um dia irão chegar. O mundo líquido é um mundo em constante mutação, transformação e reinvenção, é o passaporte para enxergar com novas perspectivas e agir com mais determinação. Por exemplo: você já tentou ficar totalmente parado alguma vez quando estava no mar? É impossível. E por que? Porque existe forças que são maiores que você, e que não tens o controle.

Dentro do mar tudo é movimento, sutil ou agitado, fraco ou forte, não importa. Você pode até não gostar de mar, mas eu o usei para que você amplie seu ponto de vista e comece a entender que a sua vida é assim, que as empresas são assim. Uma forma lúdica de tornar mais claro o que estou falando é a atual situação econômica que o Brasil está vivenciando, e que por consequência desencadeia um efeito dominó: Estados, prefeituras, empresas de pequeno, médio e grande porte, todos são afetados – inclusive nós. O governo brasileiro cada vez mais vem falando em corte de despesas (arrocho) em diversas áreas – apesar de não “cortar os próprios pulsos”-; empresas vem demitindo funcionários ou colocando-os em férias coletivas; desemprego em alguns setores vem crescendo, afinal, tudo o poderia significar uma crise.

A crise nada mais é (mas não tem nada de simples) do que um movimento agitado/forte e que não está dentro daquilo que nós esperamos. A maior dificuldade para algumas pessoas é esperar muito e se preparar pouco para o que vai ser vivenciado diante de uma crise. Nos acostumamos com o que vem dando certo, e esquecemos de ter aquele famoso “plano B”, uma alternativa para alcançar nossos objetivos quando fatos inevitáveis acontecem. O que uma empresa pode fazer? Vai demitir? Provavelmente. Realizará reengenharia? Talvez. Cada ação da empresa parece ser milimetricamente controlada para satisfazer os acionistas, para continuar sendo a líder de mercado, e desta forma os gestores acabam esquecendo que através da superação dos riscos foi que a empresa se tornou o que é.

E aí temos mais um fato da vida: a incerteza. Ela é uma constante tão presente nosso dia a dia que nos faz alterar a direção, questionar planos que antes deram sucesso e nos joga ainda mais dentro do MUNDO LÍQUIDO. Por mais que se evite o mundo líquido – como se fosse algo fruto de fantasia-, é com ele que vamos nos relacionar durante toda a nossa vida, seja com indivíduos ou como funcionários de uma empresa, é com ele que podemos aprender como resolver disfunções, problemas e obviamente, com as crises.

Devemos voltar a nos humanizar para reconhecer nossa (verdadeira) identidade, e estabelecer propósitos tão fortes que possam provocar estruturas hierárquicas e comportamentos retrógrados. A essência, que é também uma inspiração, quando nos movemos com aquele brilho nos olhos, que mesmo diante de percalços aprendemos a ter maturidade para seguir em frente e fazer o que é necessário.

 Neste mundo líquido de hoje, o que faz você acordar todo dia?

Descubra e revolucione!

banner clique
The following two tabs change content below.
Professor; Administrador formado pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP); Pós-graduando em Docência no Ensino Superior pelo Senac; Acadêmico de Recursos Humanos pelo Instituto Brasileiro de Gestão e Marketing (IBGM); Estudioso de empreendedorismo, responsabilidade social e da Geração Y. Tenho na educação a esperança de transformação deste mundo: pessoas conscientes contribuem para um mundo melhor!

Latest posts by Ricardo Verçoza (see all)