À cada dia, o mundo fica mais mobile. Centenas de smartphones são vendidos, e a explosão dos phablets e tablets mostram a necessidade de consumir conteúdo pelas “telinhas” (ou seriam telonas?). Milhares de mensagens são trocadas via WhatsApp ou algum outro messenger App, centenas de vídeos são filmados e postados no YouTube, Facebook e afins, quando não transmitidos em tempo real pelo Periscope ou Meerkat, sem contar na quantidade de fotos postadas no Instagram ou Snapchat. Faz um tempo desde a última vez que você viu seu gerente do banco, já que a maioria das suas transações são feitas através de um App e a planilha de gastos do Excel foi substituída justamente por um App.

Falando em anotações, aquela folhinha pregada na geladeira com as coisas que você precisa comprar ficam agora no seu bolso (só falta algum App fazer DIREITO as entregas de supermercado/feiras. Alô Instacart, quando vocês desembarcam no Brasil?).

Descobrir novas músicas e ter uma playlist pra cada coisa custa pouco (e inclusive tem gerado muita briga), e claro se você está escutando aquela música chiclete que não sabe o nome, o Shazam te ajuda rapidinho. Saber o que tá na moda, sugestões de look e comprar com menos ‘cliques’ ainda, é fantástico (e agradeço aos meus companheiros da Dafiti pelo foco em fazer os users acessarem o melhor da moda de forma bem prática e rápida pelos nossos apps). Para aquela viagem de última hora, passagens e hospedagem reservadas por um App (como o booking consegue ser tão bom?) e até o checkin do vôo é via mobile.

Ficar 10min tentando ligar pra uma cooperativa de táxi? Que nada 2 toques na tela e táxi a caminho (pode falar que você escutou “táááxi!”). Conhecer gente nova nunca foi tão fácil e até aquela paquera do metrô pode aparecer na tela do seu smartphone, “its a match!” (Ou um “crush” caso você use o happn). Para o jantar, ou repete aquele pedido de sempre da pizzaria por algum dos apps de delivery (porque eles ainda cobram tão caro na entrega!?) ou pode dar uma de mestre cuca pedindo seu prato e os ingredientes chegando separados com vídeos e dicas de como prepará-lo (viva o cheftime!).

Bom, antes de dormir aquele “scroll infinito” no Facebook/Instagram/Twitter para ficar por dentro das novidades e aquela última checada no e-mail para ver o que te espera no próximo dia.

Tirando as dores no pescoço e a insônia dos scrolls com a luz apagada, até o nostálgico Snake, (vulgo “joguinho da cobrinha”) decidiu vir para 2015.

banner clique
The following two tabs change content below.

Arthur Castro

Respira Mobile e inovação. Sempre conectado com algum iGadget, é exemplo vivo dessa geração "alguma letra". Além de escrever aqui e em outros blogs, é palestrante e passa os dias criando apps.