Cultura sempre é um papo meio quente. Existem diversas opiniões acaloradas sobre sua relação com a natureza, qualidade, origem e futuro. Por isso, busquei reunir os principais conceitos das ciências sociais e fazer um resumo que pode ajudar no entendimento dela. Assim como a cultura, estes conceitos são alvo de discussões e estão em constante transformação.

Cultura é o todo que define um grupo social

A cultura é um conjunto de prática, crenças e modos de viver que fazem parte do cotidiano de um grupo social. Cada elo das práticas sociais, das regras sociais, dos usos de cada objeto, da comida, enfim, cada ato ou coisa só os são porque estão ligados a uma realidade social cheia de significados e que pode mudar de grupo para grupo. Isso explica determinados produtos e serviços serem muito bem sucedidos em meio a determinados grupos e não em outros.

Não existe gente sem cultura

Cultura não é algo que você coloca de baixo do braço e leva por aí. É algo aguçado desde criancinha. É a partir das práticas, dos ensinamentos e proibições, das relações com os espaços e objetos que uma criança entende o seu lugar naquela sociedade e quais são os significados deles. Desta forma, ela se desenvolve em consonância com o grupo e passa a assimilar os mesmos valores e viver de acordo.

Uma música, uma obra de arte são elementos que expressam esta cultura, são manifestações culturais, fazem parte dela. Logo, não existe gente sem cultura. Existe gente que vive elementos marginalizados da cultura, ou ainda uma cultura marginalizada. Entender isso nos torna mais tolerantes e pode ser uma bela ajuda no momento de entender para quem o seu produto vai e que cada público tem o seu valor ainda que não tenha as mesmas práticas.

Cultura não é algo estático

Uma vez que compreendemos que a cultura dá significado à vida social e ao que faz parte dela, que a cultura tem diversos elementos e manifestações, pense no fato das pessoas circularem entre diversos territórios em contato com novas informações. Não é difícil prever que a cultura não é estática, que ela se adapta, sofre mutações. Logo, tentar se prender a padrões antigos representa muito mais um saudosismo do que um conhecimento cultural. Por isto é muito importante ter isto em mente quando se traça um plano de ação baseado em valores de seu público.

Este plano deve procurar compreender sempre quais são as nuances e acompanhar as mudanças ocorridas com o tempo e a movimentação dos grupos.

banner clique
The following two tabs change content below.

Carolina Feitoza

Pesquisadora de consumo
Cientista Social e estudante de Design de Moda. Apaixonada por antropologia, arte contemporânea e design. Interessada em comportamento, consumo e comunicação. Atua como pesquisadora de consumo.