O carnaval é uma das melhores épocas do ano, pois reúne coisas sensacionais para o brasileiro: feriado prolongado, festas, diversão, altas doses de álcool e descanso. Eu sou suspeito para falar, já que quando o carnaval cai em fevereiro, comemoro também meu aniversário, mas sem dúvida é um período fantástico – independente se seu interesse na época é descansar ou brincar.

Quando contemplamos o mercado de negócios, especificamente as ações de marketing que as empresas podem executar no período de Momo, temos um leque sem fim para a criatividade e para possíveis abordagens junto ao público-alvo. Mas como é possível obter a preferência das pessoas em um espaço de tempo em que há grande tendência na infidelidade no consumo? Sabendo definir o posicionamento da marca. O posicionamento é uma das disciplinas essenciais do marketing. Podemos utilizar a tão comentada (e por alguns também odiada) análise Swot, que proporciona um panorama tanto interno quanto externo a organização. Contudo, para que este posicionamento possa ser o mais completo possível, é necessário que a empresa tenha um pensamento de dentro para fora, e também um pensamento de fora para dentro. Eu explico.

Através do posicionamento com base no pensamento de “dentro para fora” a empresa trabalha tendo como referência os 4Ps básico do marketing – produto, preço, promoção e praça. É a forma como ela se estrutura internamente para propor ao mundo externo sua perspectiva do que é bom. Já através do posicionamento com base no pensamento de “fora para dentro” a empresa trabalha tendo como referência os 4Rs – relevância, receptividade, responsividade e relacionamento. Desta forma, a empresa se estrutura a partir do fator externo, ou seja, o cliente, e busca definir uma linha de trabalho que tenha como objetivo agregar valor.

E se estou falando de carnaval, posso/devo apresentar minhas impressões sobre um caso particular: a Skol Beats Senses. A bebida não é (era?!) tão popular – pelo menos entre os meus amigos-, mas os principais polos do carnaval pernambucano, Recife e Olinda, foi marcado pelo forte e destacado azul espalhado desde os mais refinados bares, até os ambulantes de rua. Se fizer uma breve análise sobre abordagens que citei acima, destaco que no pensamento “de dentro para fora” a empresa foi feliz no aspecto praça, já que o produto estava disponível facilmente, e no pensamento de “fora para dentro” destaco a estrutura de relacionamento montada para posicionar a marca no carnaval das cidades de Recife e Olinda.

Estas duas maneiras de pensar o posicionamento da marca se assemelha a perspectiva 360 graus, e é um forte elemento para construir uma visão mais ampla a respeito do consumidor e do que a marca pode oferecer. O carnaval é uma época boa para vender? Não tenha dúvida! Mas se os gestores forem além das vendas – o que representa apenas um resultado de curto prazo-, podem conquistar mercados, solidificar estruturas competitivas e reverter aquela infidelidade – é a conquista de um resultado de longo prazo.

No próximo carnaval, além das festas e da alegria, seja sagaz o suficiente para posicionar sua marca.

OBS: o caso da Skol Beats talvez seja local. Logo, provavelmente em outra região temos outros exemplos.

Referência: Marketing direto ao ponto – conceitos essenciais que fazem a diferença, de Chris Ritchie.

banner clique
The following two tabs change content below.
Professor; Administrador formado pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP); Pós-graduando em Docência no Ensino Superior pelo Senac; Acadêmico de Recursos Humanos pelo Instituto Brasileiro de Gestão e Marketing (IBGM); Estudioso de empreendedorismo, responsabilidade social e da Geração Y. Tenho na educação a esperança de transformação deste mundo: pessoas conscientes contribuem para um mundo melhor!

Latest posts by Ricardo Verçoza (see all)