A compra de mídia online se divide, basicamente, em três tipos: mídia display (banners), links patrocinados (Google AdWords) e anúncios em redes sociais (Facebook Ads). Cada um desses tipos de mídia tem funções diferentes, uma vez que nos pegam em momentos diferentes.

Quando entendemos o modelo de publicidade possível em cada uma das plataformas, entendemos qual é a forma que temos de atingir nossos objetivos como profissionais de marketing e também começamos a entender o que estamos entregando como usuários.

Hoje vamos discutir dois desses modelos: o modelo Google e o modelo Facebook. Experimente fazer uma busca no Google e observe o conteúdo oferecido pelos anúncios que apareceram na sua tela. Dificilmente você vai encontrar algum link patrocinado que não tenha relação direta com aquilo que você estava procurando.

O modelo de negócios do Google, em geral, funciona assim: destacar oportunidades de negócios para empresas que possam oferecer alguma coisa da qual nós, usuários, estamos precisando naquele momento específico. Em outras palavras, o Google vende a sua intenção ao anunciante.

Por mais que o Google tenha praticamente todas as suas informações, ele opta por trabalhar apenas com o direcionamento de mensagens que tenham relação com aquilo que você está procurando naquele exato momento. Se você ou o seu concorrente receberão o clique, aí entramos em outra questão, que depende exclusivamente da atratividade da sua oferta.

Ok, entendemos o que é a venda da intenção direta. Agora, precisamos compreender o que é a compra do seu ócio. Primeiro, vamos ao conceito de “ócio”. Em linhas gerais e menos filosóficas, o ócio é todo aquele espaço de tempo em que você utiliza para fazer absolutamente nada.

Agora, reflita sobre o seu comportamento na internet. Onde costumamos “fazer absolutamente nada” quando estamos online? Segundo a ComScore, o brasileiro passa em média 13 horas por mês em redes sociais. Se olharmos esta fatia mais de perto, veremos que 97,8% deste tempo é no Facebook.

Se observarmos o ranking da ComScore para os domínios mais acessados no Brasil em 2014, veremos que o líder continua sendo o Google e logo em seguida temos o Facebook. Isso já era de se esperar, não é?

Pois bem, depois de conhecermos alguns números sobre o Facebook, é hora de entender o que o seu tempo livre tem a ver com a venda de mídia. Quando estamos no nosso momento de ócio no Facebook, estamos, de certa maneira, desarmados – ou seja, fazer negócio não é a nossa primeira prioridade enquanto usuários comuns. Estamos lá para entrar em contato com parentes e amigos, negócios vem em segundo ou terceiro plano.

Porém, é quando estamos nesses momentos de “ócio” que as mensagens de vendas são absorvidas com muito mais facilidade. É mais fácil fisgar um consumidor distraído do que aquele que está sempre alerta. Contudo, fazer com que esta missão seja cumprida é algo que vai desafiar as suas habilidades como redator.

Em outras palavras, este artigo é uma forma de condensar a ideia que o Rene de Paula Jr. comenta em um dos vídeos do seu canal. Recomendo que você assista e tire a suas próprias conclusões. Como você prefere entregar a sua comunicação? Em qual canal você prefere investir?

Até a próxima!

banner clique
The following two tabs change content below.
Jornalista, especialista em Marketing e Novas Tecnologias em Jornalismo, anda pela internet desde os idos de 1997, quando os modens ainda “cantavam” na hora de conectar. O que realmente prende a sua atenção é o conteúdo e as suas estratégias.

Latest posts by Luisa Barwinski (see all)