Em meu último artigo, intitulado “2014: As previsões para as redes sociais foram cumpridas?”, abordei algumas profecias feitas no final de 2013 para o universo das mídias sociais. Muitas se cumpriram e outras estão sendo desenvolvidas nesse finzinho de ano. Agora é o momento de pensar em 2015 e ficar atento às novas tendências.

Uma coisa é certa: qualquer mudança que acontecer, o conteúdo vai continuar sendo relevante. Com a evolução da web, os sites de redes sociais mudaram suas formas de comunicação com foco em relacionamento, para que tenham maior presença e engajamento no ambiente online. Para a pesquisadora Carolina Terra, o que se extrai como lição para as marcas é: conteúdo relevante + planejamento + investimento + relacionamento + diálogo + agilidade.

Lembre-se que com o advento da web 2.0, o usuário passou a ser produtor de conteúdo. Existe uma maior liberdade para curtir, comentar, compartilhar, falar bem, falar mal, enfim… o monitoramento precisa continuar sendo eficiente. De outra forma, não haverá diálogo. As decisões dos seus clientes em potencial serão avaliadas pelo que andam falando por aí.

Há poucos dias, o Facebook divulgou que vai diminuir o alcance dos posts orgânicos que são “excessivamente promocionais”. Lascou! Calma, talvez não! Quem sabe assim, começam a enxergar a rede como uma mídia, não como um site de brincadeira, gratuito. Planeje, como foco em convergência, também para outros canais que não são tão consagrados. Dessa forma virão ações relevantes e inovadoras para o consumidor.

Em cada postagem, um flash!

De acordo com o relatório da comScore, o Instagram é a segunda rede preferida por pessoas entre 18 a 34 anos. Podemos avaliar que isso é uma prova de que o público sente a necessidade de consumir, produzir e publicar. Clicks, vídeos curtos virão com tudo em 2015, sempre acompanhado de um conteúdo com rápida absorção.

No Brasil, o Youtube é a segunda rede mais acessada, conforme o Serasa Experian. Uma boa dica para quem quer ter um maior alcance aliado à construção da identidade das marcas e realizar campanhas virais.

Quem é o meu público?

Não custa nada refazer esta pergunta. Aproveite o início do ano para fazer um balanço e verificar o que não deu certo. Segmente o público em pequenos grupos, com personas que tracem um modelo de consumidor específico. Analise e segmente os dados também. Dessa forma, você irá construir estratégias personalizadas e ações mais rentáveis.

O mundo vai estar mais mobile do que nunca!

Prova disso é a origem dos investimentos para publicidade móvel em 2015. Segundo o estudo da Advertiser Perceptions, os anunciantes deixarão os veículos tradicionais de lado e investirão mais em tablets e smartphones, em busca de novos consumidores e vendas online e off-line.

Ainda de acordo com a Advertiser Perceptions, os smartphones são melhores do que os tablets para a divulgação de anúncios, pois chamam maior audiência e segmentação. No entanto, os tablets apresentam maior engajamento e experiência do usuário.

E você, o que espera de 2015? Está pronto para escrever uma nova história?

banner clique
The following two tabs change content below.

Alison Marques

Viciado em compartilhar conhecimento. É Especialista em Linguagens e Mídias Digitais, jornalista, palestrante e social media.