Economia e consumo – reagindo às oscilações

Economia e consumo – reagindo às oscilações

Sobre economia, todo conhecimento parece pouco se tratando de uma ciência tão complexa e mutante. Empresário ou funcionário, todos temem as variações econômicas e suas consequências. No varejo, com as altas e baixas nas vendas, economia é assunto certo nas rodas de conversa, principalmente de comerciantes que buscam os motivos que afastam os consumidores das compras.

2014 está sendo um ano difícil do ponto de vista econômico, inflação e taxa de juros em alta aumentam o custo de produtos de necessidade primária, como alimentação. Resultado? Adquire-se o que é realmente necessário e os desejos são protelados em prol de cautela financeira, como bens duráveis, por exemplo. Empolgados com o aumento da renda, muitos consumidores se endividaram. A Copa foi boa para alguns setores, mas para muitos outros nem tanto e as eleições deixam o cenário ainda mais instável. Como reagir em um contexto de incertezas no ambiente econômico?

Varejistas experientes estão acostumados com o jogo de cintura que precisam ter no ramo, normalmente utilizam de estratégias mais agressivas, mas dificilmente conseguem escapar dos resultados insatisfatórios nas vendas. Apesar de alguns especialistas afirmarem que o resultado comercial está diretamente relacionado à atitude, comprometimento e conduta no processo, acredito que não se pode omitir fatores externos que influenciam sim o comportamento de consumo. O fato é que a economia está naquele grupo de fatores que não podemos controlar.

O momento deve ser aproveitado para reflexão, focar nos fatores que estão sobre o nosso controle, na solução e não no problema! Engajar os vendedores na busca por alternativas para atenuar a fase pode ajudar a mantê-los focados e a realmente melhorar os resultados. O fim do ano se aproxima e traz boas expectativas, empregos temporários, 13° salário e aquecimento nas vendas! Organizar a casa, rever os planos que ficaram esquecidos, rever os gastos, analisar alianças – por que não com a concorrência? – são ações que podem fazer diferença e preparar melhor as equipes para dias melhores! E manter o otimismo, afinal motivação contagia!

0

Caroline Trapp

Publicitária e sócia-proprietária na AnimA Estratégias em Relacionamento. Estuda comunicação, marketing e comportamento de consumo, vê no relacionamento o diferencial de marcas e negócios!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *