Comunicação externa é aquela que fala com a sociedade de uma forma geral, é uma ferramenta que quando utilizada oferece ao público subsídios e informações que contribuem na construção de uma imagem positiva da empresa, e que, obviamente tem que estar alicerçada na realidade: representada por bons serviços e produtos, atendimento digno, preço justo e mais. O trabalho de comunicação externa é uma das ferramentas mais indicadas para estreitar laços entre empresa e público alvo. Um bom trabalho de comunicação mostra a alma da empresa, mostra ao público alvo e a sociedade em geral como é que as coisas funcionam lá dentro. Entre alguns objetivos desse tipo de comunicação devemos destacar os indispensáveis:

Divulgar (claramente) a missão da empresa, estabelecendo correto posicionamento e assegurando uma identidade que confira a empresa respeito e reconhecimento da sociedade;

– Criar boa vontade (da organização e os colaboradores), melhorando sua posição diante a opinião pública (comentários fora do ambiente da empresa);

– Proporcionar maior visibilidade aos programas e atividades internas, mostrando desenvolvimento e preocupação quanto ao bem estar.

Essa comunicação externa se dá por diversos meios: jornais, revistas, assessoria de imprensa, postos de atendimento, eventos, manuais e outros. E o ideal para alcançar o maior número de acertos e medir resultados é PLANEJAR, prevendo claramente qual posicionamento a empresa quer ter no mercado. Esse posicionamento diante do mercado deve estar embasado na alma da empresa. A alma da empresa é o ‘ser’ e ‘ter’, lá estão suas fórmulas para soluções, suas atividades internas, seu envolvimento com colaboradores, seus valores e objetivos; a alma é o interior da empresa apresentado diante a sociedade de forma clara e completa, sanando dúvidas e não deixando margem para interrogações.

Uma boa comunicação externa só é eficiente se o que está sendo apresentado condiz com o que a empresa tem para mostrar. Se a comunicação for construída de informações QUASE reais ou falsas nada está claro, e não haverá resultados satisfatórios, nem consolidação de imagem.

Outro erro comum é comunicar externamente da mesma maneira (ou com mesmo material) que se comunica internamente. São linguagens diferentes, devem receber informações diferentes. Clientes não precisam ver números de nomeações ou mudanças de cargo, por exemplo. Bem como, colaboradores não precisam receber dados de valores ou detalhes de produtos (pois já o conhecem). Isso faz parte do planejamento e deve ser claramente definido e ajustado para comunicar de forma eficiente.

A comunicação externa tem início internamente, é como mostrar aos outros, o que tem de bonito e correto dentro da empresa. É abrir a alma de maneira adequada e transparente. Pois informar não é apenas um dever, mas um fator estratégico para o sucesso dos negócios e conquista de boa opinião pública. Toda empresa precisa ter uma ‘alma’ transparente, que nada tem a esconder, que cumpre suas funções sociais e está em dia com suas obrigações. O público exige esta postura, pela facilidade de comunicação e aumento da demanda em muitos setores. E como canta Zeca Baleiro: “A alma é o segredo, a alma é o segredo, A alma é o segredo do negócio!” Por isso ela precisa ser transparente e estar de acordo com os objetivos da empresa!

banner clique
The following two tabs change content below.

Hayane Souza

Os capítulos da minha vida mudam rápido, assim como as tendências de comunicação. Publicitária apaixonada pelo efeito positivo que o marketing causa.