Todos os anos vemos algo diferente, alguma tendência que veio de fora e que se instala nos departamentos de marketing como se fosse uma febre. Ainda bem que desta vez é algo bacana feito o conteúdo. Empresas focadas em inbound marketing como o Hubspot fazem pesquisas com frequência e, da última vez, constataram que as pessoas gostam de marcas que produzem conteúdo.

Por que será que elas gostam? O que é o conteúdo produzido por marcas? Qual é o impacto deste conteúdo na vida dessas pessoas?

Essas perguntas são bastante legítimas e costumam deixar muita gente intrigada. Entretanto, o ponto de virada neste caso é o novo mindset dos consumidores. O fato é que o consumidor quer ter um relacionamento saudável com as empresas das quais ele consome produtos e serviços.

Relacionamentos duradouros exigem mais do que aquelas já bem manjadas frases curtas e super “vendedoras”. Não estamos falando do tal copywriting. O que nos movimenta aqui é como cuidar de uma base de clientes muito exigente e que tem acesso a muita informação.

Segundo a pesquisa BrandShare, feita pela Edelman, foi constatado que 90% das pessoas espera que as marcas compartilhem algo interessante nos seus canais de contato com o consumidor. Entretanto, só 10% dessas pessoas acreditam que as marcas estão fazendo isso corretamente.

Marcus Sheridan, um dos maiores cases vivos do marketing de conteúdo, contou que precisou mudar a sua compreensão sobre a própria empresa para que o relacionamento com o consumidor melhorasse. Foi graças a essa mudança que ele conseguiu mudar o jogo e salvar sua empresa.

O fato de possuirmos canais de conteúdo não significa que estamos produzindo o melhor para o nosso consumidor e aqueles que podem vir a consumir da nossa marca. Precisamos entender como podemos ser “professores” e “resolvedores de problemas”. É isso que faz a diferença.

Costumo bater muito nesta tecla por um simples motivo: o conteúdo é o que aproxima as pessoas das marcas. É a expressão de todo o trabalho de construção de marca que fazemos e isso precisa ser valorizado dentro das empresas. Desde o tom de voz até os manuais de crise – tudo precisa ser muito bem pensado.

Isso faz diferença na hora de o consumidor optar por você e não pelo concorrente. Ele construiu um relacionamento melhor com a sua marca e por isso decidiu consumir o que você tem a oferecer.

O bom conteúdo mostra que você pode oferecer superpoderes ao seu consumidor. É isso que ele quer e não um amontoado de informações técnicas sendo jogado o tempo todo. Mostre os benefícios daquele produto. Educar o cliente é o primeiro passo para um relacionamento bastante duradouro.

Depois de falar tanto sobre tantas coisas, você conseguiu enxergar a sua marca nessa história toda? Conte para a gente aqui nos comentários!

banner clique
The following two tabs change content below.
Jornalista, especialista em Marketing e Novas Tecnologias em Jornalismo, anda pela internet desde os idos de 1997, quando os modens ainda “cantavam” na hora de conectar. O que realmente prende a sua atenção é o conteúdo e as suas estratégias.

Latest posts by Luisa Barwinski (see all)