Qual é o valor da contabilidade para o seu negócio? Quer dizer então que disseram para você que contabilidade é coisa de contador e você vai continuar nessa? Claro que é a especialidade do contador, mas você como administrador, empreendedor deve procurar ter algum conhecimento nesta área para não levar uma rasteira e até mesmo conseguir detectar falhas nos relatórios contábeis da sua empresa. Afinal, é por meio dos relatórios contábeis que se demonstra a saúde financeira da empresa. Sem falar que é a maneira de calcular os impostos que sua empresa deve pagar.

Warren Buffet diz que existem muitas maneiras de descrever o que está acontecendo com uma empresa, mas independente do que se diga, elas acabam na contabilidade.

A contabilidade deve ser compreendida como o processo que tem por objetivo medir para depois informar o conhecimento financeiro para quem toma a decisão na empresa. É acima de tudo um instrumento de gestão e de controle das organizações, expressando sua capacidade para sanar suas dívidas, lhe auxiliando a definir o preço de venda e confirmando sua lucratividade.

Para finalizar os conceitos da contabilidade, você sabia que trata-se de uma ciência social e não exata? Ela está inserida nas sociedades econômicas – as empresas e quem estuda (mede, calcula, avalia) os aspectos quantitativos (valores) e qualitativos (análises) do patrimônio (os bens, direitos, investimento e obrigações) dos negócios.

Demonstrações contábeis para não contadores

Vou apresentar aqui 4 excelentes tipos de demonstração contábeis ou relatórios contábeis que sua empresa não pode fugir:

1° – DRE – Demonstração do Resultado do Exercício: define o lucro ou prejuízo da empresa em determinado período de tempo. Inicia com todas as receitas – entradas de capital menos todas as despesas, custos, investimentos, gastos e perdas. Em uma análise mais profunda permite avaliar onde se está gastando desproporcionalmente. É por meio deste cálculo que você paga o imposto de renda da sua organização.

2° – BP – Balanço Patrimonial: esta medida refere-se à relação entre o que o empresário possui (caixa, contas a receber, estoque, equipamentos) e o que ele anda devendo na praça (contas a pagar – luz, aluguel, água, telefone e os empréstimos realizados). É o chamado Ativo – Passivo + Patrimônio Líquido.

3° – DMPL – Demonstrações das Mutações do Patrimônio Líquido: aqui vale um *, é a razão que explica se o lucro da empresa está sendo reinvestido nela ou se está sendo distribuído aos empresários. Define também se há reservas de capital existentes.

4° – DFC – Demonstração dos Fluxos de Caixa: evidencia a saúde financeira da empresa. Como o seu caixa se comporta no pagamentos das obrigações.

Tudo isso pode parecer coisa de outro mundo ou um bicho de sete cabeças. O fato é que, quem deseja empreender ou já começou a jornada empreendedora precisa tirar um pouco o foco da operação do negócio e buscar entender como administrá-lo. Não adianta apenas saber fazer, é preciso saber manter e, principalmente, saber fazer com que traga retornos positivos. Deixe o ‘medo’ de lado e descubra que a contabilidade pode ser sua maior aliada.

banner clique
The following two tabs change content below.

Augusto Talarico

As vezes você ganha, as vezes você aprende. O seu grande mestre deveria ser o seu último erro. Perfil: Estudante da Pós ADM- FGV e colunista no Ideia.