Em tempos globalizados, onde o relógio é visto como um dos grandes obstáculos da população e, a exigência por atualização profissional é cada vez mais latente, entender e utilizar a tecnologia como aliada no processo de aprendizagem e reciclagem profissional é fundamental para não deixar o tempo (ou a falta de) nos engolir.

Com a entrada do ensino à distância no mercado, muitos pontos foram levantados – alguns a favor, outros contra – com a intenção de entender e simplificar o uso de novos formatos de consumir conhecimento adaptando às necessidades e condições dos estudantes de hoje.

Para entendermos melhor esse cenário, conversamos com Raphael Pinho, CEO da Entende, empresa sócia e responsável pelos cursos online da Escola São Paulo – Economia Criativa, onde existem cursos presenciais e também à distância, vivendo na prática essa nova realidade.

1. Por ser uma prática relativamente nova, ainda existem alguns olhares desconfiados em relação à educação à distância. Para desmistificar alguns conceitos negativos, o que você considera como benefícios em estudar online?

Toda grande ruptura em um setor tradicional gera questionamentos e desconfianças devido ao processo de aculturamento e adaptação ao novo pelas pessoas. Cada vez mais entendemos que a educação online é apenas uma forma pela qual as pessoas podem ter acesso a conteúdos de qualidade. Cada pessoa tem uma necessidade de estudo que pode ser diferente de outra e a plataforma de estudo online facilita o aluno poder montar sua trilha de aprendizagem da maneira que quiser e na hora que quiser. A liberdade do tempo para escolher o melhor momento de estudar é um grande diferencial. O mito de que conteúdo educacional online é de baixa qualidade já está sendo colocado de lado, pois não dá para questionar a qualidade, quando falamos por exemplo de conteúdos produzidos pelas melhores universidades do mundo. Educação online já é uma realidade e é um caminho sem volta.

2- Qual o perfil dos estudantes que buscam esse formato?

Quando olhamos o segmento online como um todo, que engloba as universidades e pós-graduações, ainda vemos a opção do online como uma forma menos custosa para o aluno buscar obter a graduação, porém cada vez mais vem crescendo o grupo de pessoas que buscam a educação online como a melhor forma de independência com relação ao tempo e a deslocamento. Por exemplo, no caso da Escola São Paulo, grande parte dos nossos alunos se enquadram nesse grupo.

3-  Por que a Escola São Paulo optou em expandir as possibilidades de aulas, dividindo espaço entre o presencial e o online?

Entendemos que não existe divisão de espaço, mas sim uma complementaridade entre as operações. O online é a melhor forma de conseguir atingir novos públicos em outras regiões que não poderiam participar do presencial por conta da distância física entre o aluno e a escola. Dessa maneira, conseguimos atender essa necessidade e entregar um produto educacional com a mesma garantia de qualidade que no presencial.

4- Uma das formas de ativar a criatividade é através da troca com demais profissionais. Sendo uma escola de economia criativa, como a Escola São Paulo trabalha esse ponto online?

Essa é uma das principais discussões na educação online, o Social Learning. Hoje, disponibilizamos um blog interno nos cursos para que os alunos consigam trocar experiências e fazer questionamentos entre si. Uma novidade que vamos lançar em breve será um modelo de curso misto, onde teremos predominantemente conteúdo online, mas que em alguns momentos do curso faremos encontros presenciais para estimular o networking e a troca de experiência presencialmente entre os alunos.

5- Sabemos que muitas pessoas passam mais tempo na internet do que executando outras atividades fora dela. Com essa grande ‘concorrência’ de atenção virtual, a qualidade do ensino pode ser afetada pela falta de foco dos alunos? Como um curso pode atrair a atenção dos estudantes fazendo parte desse meio?

Esse já é um problema que existe independente se o aluno está estudando online ou não, ou até mesmo se esse aluno está trabalhando ou fazendo outra atividade, as pessoas estão conectadas 24 horas por dia através do mobile. Independente dessa questão de conectividade, acreditamos que o aluno só dará atenção a um determinado conteúdo se o mesmo terá um impacto de fato em sua vida e, claro, quanto mais atrativo e sedutor for o conteúdo, mais tempo o aluno estará conectado estudando. O conteúdo precisa ser direto ao ponto, claro, bem produzido e com duração curta para cada assunto. O aluno precisa sentir que está evoluindo e aprendendo, dessa forma ele ficará cada vez mais engajado.  ​

Gestão de redes sociais, técnicas de negociação, publicidade, entre outros temas são abordados pelo polo online da Escola São Paulo. Para conhecer a plataforma e todos os cursos à distância, acesse: http://www.escolasaopaulo.org/online

banner clique
The following two tabs change content below.

Mariana Melissa

Gestora de pessoas e Coordenadora de projetos at Ideia de Marketing
Graduada em Marketing e Gestão de Recursos Humanos, é apaixonada pela arte da escrita e pelas relações pessoais. Já trabalhou com comunicação interna, redação e marketing. Atualmente é Gerente de Projetos na agência Target Mais e está a frente dos projetos internos do Ideia de Marketing atuando como gestora de pessoas e conteúdo. marianamelissa.s@gmail.com