Gosto muito quando Darren Barefoot e Julie Szabo falam que o relacionamento nas mídias sociais funciona da mesma forma que qualquer relacionamento, principalmente no quesito paciência, considerada a peça-chave.

Sabemos que uma rede é formada dessa forma, seja pelo lado afetivo ou profissional. Não seria diferente com as empresas que se inserem no ambiente online. E para ter sucesso nesse espaço, é importante que o foco seja a construção de um relacionamento duradouro, que muitas vezes se torna o reflexo daquilo que já existe no offline. Afinal de contas, tudo vem evoluindo e se tornando em espaços conversacionais importantes.

Por onde começar?

Procure informações relevantes, prove que você é uma fonte confiável, e convide os usuários para participar da conversa. Lembre-se que isso leva tempo. A reputação empresarial nas redes sociais é formada pela identidade e pela imagem em conjunto com outros aspectos.

Quais são as percepções que os receptores têm da personalidade da marca? Lembre-se sempre dessa pergunta. A abordagem de rede é importante porque enfatiza as conexões entre os indivíduos.

Outra característica importante na definição das redes é a sua abertura e porosidade, possibilitando relacionamentos horizontais e não hierárquicos entre os participantes.

Como identificar se o relacionamento marca x consumidor é forte?

Raquel Recuero diz que os laços de relacionamento podem ser fortes, caracterizados pela intimidade, pela proximidade e intencionalidade em criar e manter uma conexão entre duas pessoas; enquanto que os fracos são formados por relações, tem trocas mais difusas, porém importantes, pois são aqueles que conectam os clusters, aglomerados, nas redes sociais.

Para Alex Primo, existem duas formas de interação, a mútua e a reativa. A interação mútua é aquela caracterizada por relações interdependentes e processos de negociação, em que cada interagente participa da construção inventiva e cooperada da relação, afetando-se mutuamente; já a interação reativa é limitada por relações determinísticas de estímulo e resposta”.

Todo cuidado é pouco. Uma ideia precisa sempre ser trabalhada!

No livro “Manual de Marketing em Mídias Sociais”, foi abordado o caso da empresa Carnival Cruise Lines, que começou a usar o Twitter para informar sobre promoções. No início, o que era uma ideia muito boa, tornou uma fadiga para os seguidores. O que fizeram? Começara a perguntar para os clientes, por exemplo, como tinham sido suas férias.

O que aprenderam com isso? Que os usuários precisam receber um conteúdo significativo, que melhore a experiência do seguidor na rede. Além disso, enxergaram naquela rede social uma oportunidade de relacionamento sensacional. Ao invés de postar uma oferta, pergunte.

Começou a ter novas ideias? Baixe agora o e-book Marcas que são gente. Garanto que irá te ajudar.

 

banner clique
The following two tabs change content below.

Alison Marques

Viciado em compartilhar conhecimento. É Especialista em Linguagens e Mídias Digitais, jornalista, palestrante e social media.