Não é apenas por cavalheirismo que dedico este texto, mas sim pela complexidade empolgante do cérebro feminino e a influência que elas exercem no dia-a-dia.

De fato, já foi comprovada cientificamente a capacidade da mulher em realizar diversas tarefas ao mesmo tempo, enquanto nós homens muitas vezes mal conseguimos intercalar duas simples ações – já elas, dirigem, retocam a maquiagem e ainda tem tempo para prestar atenção nos filhos no banco de trás do carro. Já no ambiente profissional, muitas são dinâmicas ao ponto de atender uma ligação, responder o e-mail e ainda assinar documentos ao mesmo tempo, a capacidade da mulher em gerenciar multitarefas simultâneas e sintonizadas é fantástica.

O lado emocional no cérebro feminino é bastante ativo, as ditas memórias emocionais têm suma importância tanto no processo de tomada de decisão quanto em seus relacionamentos. Por isso, quando algo não dá certo, o lado racional traz aquela sensação de arrependimento ou descontentamento mais forte, mas nada que as atrapalhe perante a vontade de fazer e acontecer.

O sistema de neurônios-espelho (resumidamente podemos definir como a percepção visual que inicia uma espécie de simulação ou duplicação interna dos atos de outros) da mulher é fantástico, muito maior e mais conectado, se recordam mais de acontecimento sentimentais, fazendo com que seus impulsos sejam mais facilmente ativados pelos aspectos emocionais. Talvez seja esse o motivo pelo qual as mulheres têm um talento natural e bastante desenvolvido para ver o mundo através dos olhos dos outros. Por isso, quando elas vão as compras adoram ouvir histórias e acima de tudo é necessário agrada-las. São mestras em ler expressões faciais e entender linguagem corporal, por isso não tente enganá-las pois irão perceber, sabe aquele “sexto sentido” que tanto falam, ele realmente pode existir!

Pensando nisto, com a ajuda do livro O Cérebro Consumista do Dr. A. K. Pradeep, selecionei algumas formas de chamar a atenção do cérebro feminino, são elas:

  • Preste atenção nas expressões faciais e no tom de voz e não apenas no texto falado ou escrito;
  • Como os hemisférios cerebrais da mulher estão bastante conectados e como ela filtra as ideias por intermédio das suas emoções, apresente materiais com algum componente emocional. Procure basear a sua mensagem em emoções positivas. Por exemplo, as memórias estatísticas/factuais não funcionam tão bem;
  • Deixe que a mulher mostre ou sinta empatia. Esse é o seu ponto forte. As mulheres recrutam mais áreas do cérebro que contêm neurônios-espelho do que os homens;
  • Acima de tudo, fique atento à maneira como você apresenta sua marca: para a mulher é como se fosse uma pessoa, que ela receberá de braços abertos ou descartará definitivamente, dependendo de a sua marca cumprir ou não as promessas feitas;
  •  Relações sociais são muito importantes – ajude-a a se sentir incluída, conte-lhe histórias;
  •  Concentre-se em detalhes e sutilezas, não seja insensível e óbvio. A mulher consegue captar nuanças sutis e gosta disso. Não a desafie nem ameace com mensagens do tipo “Não espere!” ou “Ligue agora!”.

Concentre-se naquilo que elas gostariam de ler, ouvir ou sentir e dedique suas ações para isto. Espero que tenha gostado e até o próximo texto!

Obs.: Em agosto darei um curso em Porto Alegre. Caso queira saber mais, clique aqui.

banner clique
The following two tabs change content below.

Eduardo Silva

Apaixonado pela vida e suas surpresas, adora uma boa conversa. Especialista em Planejamento Comercial, é palestrante em negociação e vendas.