No meu primeiro artigo deste ano tenho como objetivo analisar o cenário da comunicação em nosso país, fazendo um pequeno contraponto do que vivemos no ano de 2013. O ano que passou nos trouxe muitas expectativas, foi realizado o primeiro mega evento, a Copa das Confederações, onde o título da nossa seleção nos fez esquecer o caos social que estávamos vivendo naquele momento.

Estamos com o ego inflado, ser brasileiro nunca foi tão importante como está sendo neste ano, deixar para traz o “maracanaço” e levantar o troféu da Copa do Mundo será a redenção para uma população batalhadora, sofrida e por vezes enganada. Digo isso pois não é do título da Copa do Mundo que precisamos, e sim de melhores condições de vida, saúde, segurança, emprego e justiça social.

copa_interna1(1)A comunicação terá uma importância muito grande durante o ano, as agências já estão preparando seus clientes para linkarem suas marcas ao tema futebol, e assim todos esperam aumentar as vendas, com belas campanhas institucionais e apostando cegamente no dinheiro trazido pelos turistas.

Outro dia, diante da primeira Meio e Mensagem deste ano (revista especializada em comunicação), li um artigo fantástico de Mauro Silva, sócio e vice-presidente de criação da LiveAD, ele dizia o seguinte: “as pessoas já estão calejadas com a publicidade, elas já estão vacinadas contra a maior parte das mensagens, já sabem diferenciar as marcas que falam muito e fazem pouco. As pessoas falam e descobrem as verdades, elas estão conectadas.”

Pensando nisso tudo, acredito que poderíamos transformar o ano de 2014 em um ano de verdades. Cabe a nós profissionais da comunicação analisar a coerência de utilizar a copa do mundo como tema de campanha, cabe a nós passarmos a verdade a nossos clientes e fazer com que eles só entrem nesta se realmente se sentirem engajados e se tiverem algo para entregar. Assim, campanhas institucionais não terão o resultado esperado, os consumidores irão aguardar duas coisas durante este ano: emoções e verdades.

Analisando o futuro que nos aguarda em 2014, sua marca não poderá deixar de lado as redes sociais, a tecnologia 4G tende a se aprimorar no país e o mobile ganhará ainda mais espaço. Mesmo que as tendências apontem para investimentos no Facebook Ads, nos avisem que o Google+ crescerá, nos estimulem a criar mais vídeos no Instagram ou grupos no Linkedin, nunca esqueça que esta comunicação deverá ser monitorada por pessoas, que estarão trabalhando para outras, sendo assim, não trate este assunto friamente, de toda a atenção possível para os seus canais online. O relacionamento tende a acontecer por esta via e se você não tratar adequadamente seus clientes, você tende a não tê-los mais como seus seguidores.

Finalizando esta pequena análise, gostaria de dizer a vocês que sou um apaixonado pela comunicação e ainda acredito que esta deva ser realizada pelas pessoas e não por seus meios. Desejo um ano repleto de felicidades a todos e que possamos nos comunicar com mais clareza a cada dia que passa.

Abraços.

banner clique
The following two tabs change content below.
Sócio da Candoo Comunicação e Branding e Consultor de Marketing pelo Sebrae. Apaixonado pela comunicação, que ainda acredita que esta deva ser realizada pelas pessoas, e não por seus meios.