No mês passado, escrevi sobre Novos Modelos de Negócios – Você conhece os serviços por assinatura?, e como boa parte dos leitores pode ter imaginado como fazer para que o seu produto pudesse ser vendido desta forma, decidi estender um pouco o assunto e apresentar uma forma de realizar vendas por assinaturas.  Fiz uma entrevista com Rodrigo Dantas, CEO da empresa Vindi, empresa focada em vendas por assinatura.

Antes de começar o bate papo com nosso entrevistado, vamos relembrar o que é venda por assinatura. Imagine receber em sua casa produtos, ou kit de produtos, que você não teria tempo, ou acesso, de comprar todo mês e, por conveniência você programa a entrega deles durante um determinado período. Este é um exemplo simplório do que este modelo de negócios é. Esses compradores se tornam clientes fiéis e excluem aquela velha pergunta do empreendedor “Será que vou vender no mês que vem?”.

1476922_475849025867934_1328661848_n1) Explique para a gente qual é o trabalho de vocês.

RODRIGO DANTAS: Somos um gateway, um backoffice completo para quem vende assinaturas, planos e mensalidades. Falando o português claro, transformamos o modelo convencional de “será que vou vender o mês que vem” para o modelo de “venda sempre”.

2) Qual a maior dificuldade das lojas de e-commerce e varejo?

RODRIGO DANTAS: Um dos maiores desafios é cobrar de seus clientes e ter uma estratégia de retenção. Esse modelo de negócios atende exatamente essa demanda, no da venda recorrente e na melhor administração desses clientes.

3) Como esse modelo de negócios pode ajudar empresas, startups e novos empreendedores?

RODRIGO DANTAS: Esse modelo de assinaturas e pagamento recorrente, além de possibilitar a própria “venda recorrente” e manter as receitas planejadas, o grande ganho é dar ao empreendedor maior tempo para se dedicar ao próprio negócio. Podemos falar sobre inúmeras vantagens, mas tempo e receita planejadas são dois fatores que realmente mudam a vida do empreendedor. As empresas que vendem recorrentemente têm em sua natureza a sustentabilidade do negócio. É o caso da Amazon e seus serviços de “cloud”, da Adobe com a licença do software e diversas outras que sabem que no mês que vem aquele cliente estará “dentro de casa” novamente.

3) Quais mercados/nichos você acredita que dão mais certo nesse modelo?

RODRIGO DANTAS: Temos alguns que são mais evidentes, é o caso dos softwares, que estão numa crescente muito grande em todos lugares no mundo. Assinar um serviço é uma realidade global. Daqui do Brasil, por exemplo, podemos obter serviços de: hospedagem, antifraude, marketing e crm, tudo isso na forma de acesso, ou seja, assinatura. Hoje em dia é impossível ter uma operação na internet sem acessar serviços recorrentes.

5) Pode citar outro ramo fora serviço?

RODRIGO DANTAS: Produtos de consumo estão entrando em um estágio maduro do negócio. Aqueles negócios onde produtos que são convenientes e necessários para o consumo já enxergam um horizonte verde em suas receitas. É o caso de ração por assinatura, cosméticos, barbearia e também bebidas. Se temos que comprar todo mês, por que não assinar?

6) Qual a dica para quem quer montar ou criar um negócio de assinatura?

RODRIGO DANTAS: É sempre bom olhar o mercado interno e externo. Qualquer serviço ou produto por assinatura tem que ser necessário e conveniente. Se essas duas coisas estiverem no serviço/produto que for oferecer, já é um bom caminho. Outra coisa é pensar em um equilíbrio entre serviço bem prestado x bom produto. Pense que o cliente vai ser freguês, o atendimento vai ter que ser melhor, o preço também. Ainda têm muita coisa  a ser explorada, principalmente no Brasil.

Caso tenham dúvidas, opiniões e sugestões, por favor, escrevam nos comentários que ficaremos muito felizes em conversar.

Até a próxima!

Roberto-Rocha

banner clique
The following two tabs change content below.

Roberto Rocha

Profissional e Consultor de Marketing; Analista em Mensuração de Investimentos em Marketing/Comunicação; Designer.

Latest posts by Roberto Rocha (see all)