Gostaria de começar este artigo fazendo algumas perguntas: O que leva você a curtir uma página no Facebook? O conteúdo é atrativo? As imagens são bem trabalhadas? A linguagem é reflexo do atendimento offline da empresa? As postagens são feitas regularmente e instigam a sua participação ou só são trabalhados conteúdos institucionais?

E se você é realmente fã de uma marca por causa do trabalho que realiza (dentro e fora) das redes sociais e de repente a marca muda de estratégia e passa a ser uma página comercial, com o único objetivo de vender? Agora a pergunta é: Você vai continuar interagindo com a marca?

relacionamento-com-as-marcasEstou tocando neste assunto porque acredito e defendo que o objetivo de uma empresa estar nas redes sociais é criar um relacionamento forte e duradouro com o público. As vendas são conseqüências de um trabalho bem feito e planejado.

Conferindo algumas pesquisas recentes e antigas, como a realizada pela Hi-Mídia no ano passado, mostra que parcela significativa do público que prefere curtir, seguir e se relacionar com empresas com as quais eles conseguem obter respostas, principalmente quando são feitas aquelas perguntas que incentivam a participação do usuário.

O que forma uma rede, segundo Conrado Adolpho, são os relacionamentos. Sejam eles afetivos ou profissionais, bem como o compartilhamento de interesses e objetivos em comum. Os sites de redes sociais evoluíram e hoje são ótimos e importantes espaços conversacionais.

Então, por que insistir tanto em postar apenas publicidade sobre produtos e serviços? Ou tornar o espaço apenas como SAC? Conteúdo institucional não gera relacionamento. Lembre-se disso! Planeje o conteúdo se imaginando como receptor. Se não for relevante e nem instigar a participação, não faça. Simples, né? Basta conhecer o dia a dia de quem recebe o conteúdo.

Isso é tão importante, que fazendo essa pesquisa, você consegue identificar também a sazonalidade das palavras-chave do consumidor para conseguir fazer um bom trabalho de campanhas personalizadas de e-mail marketing.

Para encerrar, faço minhas as palavras de Alex Primo, que defende que existem duas formas de interação: a mútua e a reativa: “(…) interação mútua é aquela caracterizada por relações interdependentes e processos de negociação, em que cada interagente participa da construção inventiva e cooperada da relação, afetando-se mutuamente; já a interação reativa é limitada por relações determinísticas de estímulo e resposta.”

Alison-Marques

banner clique
The following two tabs change content below.

Alison Marques

Viciado em compartilhar conhecimento. É Especialista em Linguagens e Mídias Digitais, jornalista, palestrante e social media.