Marcas, assim como indivíduos, têm personalidade. Isso faz parte da estratégia de branding e precisa de um arquétipo de comportamento para que a marca possa “conversar” com o seu público alvo. Porém, para conversar você precisa ter voz ativa.

A voz nada mais é do que a expressão verbal (textual ou audiovisual) do que a sua marca representa, ou seja, a concretização da missão, visão e dos valores da organização. Pode-se desenvolver a voz de uma série de produtos que tenham posicionamentos diferentes, contudo, todas elas devem estar alinhadas com o eixo principal da empresa.

O grande desafio de estabelecer a voz ativa da marca é conhecer diferentes nuances do consumidor. Trata-se do desafio de encontrar uma persona de marca compatível com a persona de consumidor. É quase como adaptar-se a um novo relacionamento.

Voz e essência de mensagem

Quando falamos em essência de mensagem falamos sobre aquele fio condutor que conecta toda a comunicação da marca. É claro que cada meio tem suas características próprias, mas a essência deve se manter em todas as peças, conversas, atendimentos e assim por diante.

Todos os pontos em que o consumidor possa ter contato com a sua marca merecem atenção triplicada na hora de construir qualquer forma de comunicação. É imprescindível que todos os pontos de contato com quem compra e consome seus produtos estejam alinhados com a essência da marca.

Um excelente exemplo de boa colocação da voz são as vaquinhas super descoladas do Toddy. Aqui vale fazer um adendo: é muito frequente o uso de personagens para dar voz às marcas. As brincadeiras, gírias e a linguagem visual vibrante da campanha das vacas que “cowzam” conseguem fazer com que a ideia de energia e atividade constante chegue ao consumidor final.

Outro exemplo interessante, porém apenas digital, é a brilhante campanha da Head & Shoulders com o técnico Joel Santana. A própria marca satiriza a possível dificuldade de pronunciar o nome do shampoo e nada é melhor do que o “léfti, mídiu e raite” do Joel para isso.

Tom de voz

O tom é a maneira com que a voz é dirigida ao público. Isso fica muito claro quando colocamos alguns elementos chave como o humor, a informalidade, o sarcasmo e outros definem bem este elemento.

Para chegarmos ao tom de voz, é importante que o trabalho de construção de persona de marca seja muito bem feito. Saber como falar com quem está do outro lado é uma das missões mais complicadas na gestão de marcas e é um dos pontos em que muitas marcas falham.

Depois de todos esses argumentos, é hora da sua marca começar a pensar nisso, não é?

QUERO RECEBER NOVOS ARTIGOS POR E-MAIL

banner clique
The following two tabs change content below.
Jornalista, especialista em Marketing e Novas Tecnologias em Jornalismo, anda pela internet desde os idos de 1997, quando os modens ainda “cantavam” na hora de conectar. O que realmente prende a sua atenção é o conteúdo e as suas estratégias.

Latest posts by Luisa Barwinski (see all)