Nós sabemos que não são todos os projetos que vão para frente, aliás, poucos vão. Eu, particularmente, estou sempre me envolvendo em novas ideias, buscando colocá-las em prática e encontrar as pessoas certas a caminharem comigo.

Mas claro que muita coisa acaba ficando pelo meio do caminho por diversos motivos e o tempo é o líder deles, conciliar tudo não é tarefa fácil.

Um dos momentos mais difíceis neste processo é escolher o que seguir e o que deixar na gaveta. Mas como equilibrar fatores como: enxergar pontos que precisam ser melhorados, entender a real necessidade do público e encontrar sua demanda e ainda não fazer uma pré-divulgação que acabe com o entusiasmo e engajamento na hora do lançamento do produto/serviço? E aí que muita gente peca e neste ponto que quero chegar.

No livro ,“A Startup de $ 100”, Chris Guillebeau descreve muito bem as transições e processos que envolvem pequenos empreendedores (sem muita grana para investir) que precisam de alguma forma validar e até mesmo divulgar seu projeto e por ter passado diversas vezes por esta situação, achei interessante explorar sua teoria do “Charlatão, Mártir ou Agitador”.

Quando buscamos promover nosso projeto e ainda receber feedbacks que possam agregar na melhoria do produto/serviço, que provavelmente ainda passa por uma fase BETA, a forma com que nos portamos e agimos é imprescindível neste processo. Como podemos fazer isso sem gastar nada? Guillebeau define três comportamentos que podem definir seu sucesso ou não:

charlatão

Fonte da imagem: http://bit.ly/13DBrvQ


Charlatão: é aquele que fala, fala e fala, mas na verdade nada sustenta suas alegações. Comum nas rodas de bate-papo, o Charlatão tenta convencer (até demais) que seu projeto é sensacional, mas não apresenta nada de concreto e acaba passando vergonha. Uma dica para não passar por isso é não divulgar aos quatro cantos ideias que estão apenas em sua cabeça, sem ainda uma organização linear de tudo. Isso porque, você precisa ter algo a mostrar caso alguém peça para entender melhor ou receber mais informações. Outra coisa que é sempre bom lembrar: cuidado com as mídias sociais. Se você posta uma vez sobre um projeto que está pensando em desenvolver, tudo bem. Mas se cada semana você posta um diferente, o Charlatão pode começar a reinar em você.

Mártir: aqui o problema é mais em baixo. O Mártir sabe muito bem do que falar, pois trabalha muito e tem sempre um conteúdo sólido a expor, porém, não sabe como fazer isso. Ele, muitas vezes, não se mostra disposto a falar sobre o trabalho e não consegue se expressar e vender bem suas ideias. O Mártir é o tipo de pessoa que vive com pessoas em volta o incentivando a falar, mas que acaba fugindo pelos cantos e tornando-se invisível.

Agitador: eis que aqui mora o tipo ideal. O Agitador trabalha muito, tem muito conteúdo e sabe muito bem como colocar isso para fora. A combinação ideal está em suas mãos: união do trabalho e papo. Promover-se de forma autêntica e sólida é um dos principais atributos de um micronegócio ou daquele seu projeto que está iniciando, por isso, criar um negócio relevante e instigar as pessoas a falarem sobre ele pode “agitar” as coisas de uma forma realmente benéfica à evolução.

A conexão (o papo) que você faz diariamente nem sempre precisa ter uma ligação direta com o negócio, mas sim com o contexto, tentando entender comportamentos e, como disse no início do texto, as reais necessidades do público com o que se tem a oferecer. Por isso, dedique-se a criar algo sobre o qual vale a pena falar – não seja um charlatão. E depois, entre em contato com seus amigos ou pessoas que possam te ajudar a validar tudo que pensou e planejou.

Conquiste com conteúdo que, a meu ver, é sempre a melhor maneira de se promover.

Finalizo resumindo uma dica preciosa de Chris Guillebeau:

Assim que seu projeto estiver pronto, separe uma lista com 50 pessoas que você conhece e envie um e-mail a elas, convidando-as a participar (com sugestões ou até um cadastro). Mas seja breve e objetivo. Conte sobre o nome, a metas e os objetivos, veja o que elas acham, normalmente as pessoas gostam de participar (ainda mais quando você as conhece e trata sua opinião como importante).

E lembre-se: mais importante que ter boas ideias é executá-las.

banner clique
The following two tabs change content below.
Acredita que somente pessoas são fator de mudança. Fundador e Gestor do Ideia de Marketing, é consultor em marketing e branding.