Relacionamento dentro da empresa nos mais diversos níveis hierárquicos assim como fora da empresa e até mesmo com concorrentes não são opcionais, são essenciais.

A cultura ocidental implantada nos negócios almeja promover a execução de tarefas e empreender na velocidade da luz, o que muitas vezes faz deixar de lado erros e falhas desde o seu planejamento. A visão empresarial ao longo do tempo só se preocupava em atender demandas e tornou-se uma obsessão atingir bons resultados financeiros a todo custo, bater metas, vender, vender e vender. A consequência disso é que muitos líderes se esquecem de criar relacionamentos tanto com seus colaboradores quanto estimularem à prática entre os mesmos.

É impossível desenvolver uma carreira  fechado em si. Relacionamento dentro da empresa nos mais diversos níveis hierárquicos assim como fora da empresa e até mesmo com concorrentes não são opcionais, são essenciais. Encare a convivência diária com os seus amigos de trabalho como uma parceria onde cada um possui características intrínsecas pessoais e profissionais que exigem flexibilidade, dedicação e autoconhecimento para o conhecimento de seu próximo com um objetivo em comum: bem estar e sucesso!

É só perguntar a qualquer gestor atual, antenado com as tendências e você ouvirá do mesmo a afirmação que as pessoas são as peças mais importantes da organização.

relacionamento-profissionalO grande Peter Drucker enxergava anos luz à frente da maioria dos demais empresários e já afirmava há mais de trinta anos que, o maior ativo de uma empresa é o seu pessoal. Apesar de acreditar e saber de sua importância, muitos líderes fracassam em sua tentativa de colocar em prática esse valor devido sua visão míope para o assunto.

Foi comprovado que 1 entre 13 pessoas pode se motivar no trabalho se não tiver um amigo na empresa enquanto que se você tiver pelo menos 3 amigos na empresa essa satisfação aumenta em aproximadamente 96% e, quando seu superior é seu amigo terá cerca de três vezes mais chance de estar satisfeito com seu trabalho. Será que o ROR (Retorno sobre o relacionamento) leva ao ROI (Retorno sobre investimento)?

Colaboração, compartilhamento e a reputação são as moedas da economia moderna. Economia… Vale salientar que esse termo varia com cada rotação do planeta, é só lembrarmos as aulas de história: Economia agrícola, economia industrial, economia de serviços, de experiência e de conhecimento. E ainda há os que acreditam na economia verde.

Como citei em um texto anteriormente: suas ações, sentimentos são refletidas no seu próximo pelo contágio de emoções, logo, inteligência emocional no ambiente de trabalho é indispensável. Como dizem, “não traga os problemas de casa para o trabalho”.

Chegue com um sorriso no rosto, tenha boa comunicação, seja tranquilo, humilde para aprender com o seu próximo. Esteja comprometido com a marca que defendes, estimule o seu próximo a ser melhor do que está sendo, pratique o autoconhecimento sempre! Criar relacionamentos profissionais exige fases como o relacionamento amoroso: há o tempo para escolha, conquista, aproximação de afinidades, namoro, noivado para então concluírem uma espécie de “casamento” com contratos de convivência, confiança, discrição e zelo.

Caso não esteja se sentindo bem pode se lançar às novas oportunidades, porém cuidado! Faça uma análise SWOT verificando pontos a serem melhorados (fraqueza), pontos positivos (potencialidades), bem estar, desafios, novos ares (oportunidades) e o que pode ser perdido, que consequências poderá lhe acarretar (ameaças). Coleguismo, amizades possuem grande valor nesse processo, mas é bom estar atento e preparado para buscar o nosso melhor sempre! Estamos conectados!

QUERO RECEBER NOVOS ARTIGOS POR E-MAIL

banner clique