Do pensamento à produção: como o jornalismo moderno atropelou o exercício intelectual

Do pensamento à produção: como o jornalismo moderno atropelou o exercício intelectual

É preciso inspirar os jornalistas a agir honesta e eticamente…

O jornalismo, que teve início nas produções literárias e tinha uma ideologia tão forte quanto a sua prática, há muito tempo vem deixando de cumprir o seu real papel.

Este trabalho, sempre contornado de muita leitura, escrita e conhecimento e que, acima de tudo, possui a sua função social, hoje pode mesmo ser denominado como “produção” jornalística. Infelizmente, os profissionais da área que vivem a realidade de jornais diários, semanais e outras atividades do ramo, trabalham arduamente para cumprir com a quantidade e não mais à qualidade.

jornalismo eticoFatos interessantes que poderiam ser aprofundados, são brevemente relatados na mídia apenas para a atualização obrigatória. O compromisso com a sociedade foi substituído pelo compromisso com a corporação e, mais uma vez, as pessoas ficam em segundo plano no mundo capitalista e com sede de lucros.

Acontece que a cobrança agora é outra, o capital humano é o que conquista, o que orienta, o que ensina, cativa, ajuda e responde às  aflições do homem. Está mais claro perceber como a opinião pública e a opinião jornalística vivem entrelaçadas e, desta forma, percebendo-se assim, uma já não espelha a outra.

Aprende-se que a opinião jornalística serve para intermediar os fatos e o público e sabe-se, ainda, que a sociedade se posiciona diante da qualidade desta informação, que se dá também pela sua própria necessidade. A questão é: até que ponto isto ainda faz sentido? Não estamos mais satisfeitos com os jornalistas superficiais, e poucos canais ainda são úteis e honestos, sem maiores interesses.

É preciso repensar neste espelho da sociedade e também nesta sociedade, que talvez não esteja inspirando um jornalismo melhor. É preciso inspirar os jornalistas a agir honesta e eticamente, buscando o máximo de fontes possíveis, pesquisando todos os viés possíveis, ajudando o maior número de pessoas possíveis. É preciso cobrar um trabalho humano e deixar de produzir jornalismo em série.


QUERO RECEBER NOVOS ARTIGOS POR E-MAIL
Jussara Coutinho

 

0

Jussara Coutinho

Jornalista com experiência em e-commerce e mídias digitais. Adora falar sobre comportamento e encontrar pessoas que discordem dela com bons argumentos.

One thought on “Do pensamento à produção: como o jornalismo moderno atropelou o exercício intelectual

  1. Sou jornalista e trabalho com marketing digital. Acredito que infelizmente o jornalismo ficou mais preguiçoso após a criação da internet.
    Antigamente a pesquisa era muito grande e demorada, mas não sobrava dúvidas quanto a determinada matéria.
    Hoje devido a urgência em colocar matérias rapidamente em sites e blogs, os jornalistas não se aprofundam nas pesquisas…diga-se de passagem, alguns usam até mesmo o wikipédia para obter informações que muitas vezes não estão corretas.
    Vamos lá colegas jornalistas, vamos nos aprofundar em pesquisas antes de escrevermos algo. Se você acha chato, troca de profissão, tem que ser legal pesquisar sobre o assunto desejado.

    0

    [Reply]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *