Justamente por ser uma das principais forças da construção da comunicação de uma marca, o conteúdo sempre será um assunto polêmico. Depois de planejar e criar toda a sua linha editorial, é preciso formatar algumas estruturas básicas que vão afetar dois pontos cruciais desse processo: os buscadores e o leitor.

Essas estruturas devem estar em um manual de boas práticas, em que você consiga replicá-las em qualquer texto, vídeo ou infográfico. Por isso, pense muito bem no título que será inserido em cada página e post. Eles vão fazer diferença na hora de ranquear bem em uma busca.

A segunda estrutura importante é a meta-description das páginas e posts. Descrever aquilo que o usuário vai encontrar depois de clicar é muito importante. Portanto, faça isso com bastante objetividade e sem mistérios. Não há espaço para rodeios nestes 165 caracteres!

Não se esqueça: o Google é feito e operado por pessoas

Ainda que o algoritmo do Google tenha mais de 200 critérios para indexar páginas, é importante lembrar que todas essas condições foram desenhadas por pessoas para que outras pessoas pudessem encontrar as informações das quais precisam. Logo, para produzir um conteúdo capaz de obter boa performance em um motor de busca, você precisa pensar em quem vai pesquisar aquilo que será produzido.

Google-Trends-Gráfico

Entender como o seu público-alvo está procurando por um determinado assunto ajuda a aumentar a competitividade do seu conteúdo. Uma ferramenta muito importante nesta etapa de identificação de comportamento é o Google Trends. Com ele, você compara até cinco palavras-chave dentro de três contextos relacionados:

  • Período de tempo;
  • Região;
  • Categorias;

Vale a pena destacar que as categorias são importantes para a delimitação das tendência de busca. Pode ser que os termos sejam importantes em um nicho de mercado e em outro não tenham tanta relevância. Além disso, você pode usar o Trends para conhecer a movimentação de um setor específico em uma cidade. Basta alterar o modo de comparação de “Termos de pesquisa” para “Locais” e digitar a cidade desejada no primeiro campo de limitação.

Google Trends - Locais

Quanto aos números que você vê no gráfico, não se preocupe. Eles não são absolutos e não tem aplicação prática – estão ali apenas para indicar a relatividade dos termos em relação ao total global de buscas feitas no Google. Portanto, prefira tirar suas conclusões com base no sobe e desce do gráfico, ok?

Se está repetitivo, está errado

Descobrir o potencial de uma palavra-chave é importante. Entretanto, você não deve fazer disso a verdade absoluta na hora de escrever seu texto. Vamos a uma aplicação prática muito simples. Suponha que você está criando conteúdo sobre “guitarra elétrica”. Abaixo, temos dois exemplos:

Errado

“A guitarra elétrica é um dos instrumentos que mais simboliza a rebeldia na música. Os Beatles, Pink Floyd, Jimi Hendrix e outros grandes nomes usaram a guitarra elétrica para isso. A guitarra elétrica nasceu na metade do século vinte e com o passar do tempo, a guitarra elétrica ganhou muita popularidade.”

Certo

“A guitarra elétrica é um dos instrumentos que mais simboliza a rebeldia na música. Os Beatles, Pink Floyd, Jimi Hendrix e outros grandes nomes usaram-na para isso. A guitarra, como conhecemos, nasceu na metade do século vinte e com o passar do tempo ganhou muita popularidade.”

Leia os dois trechos em voz alta. Fica muito estranho repetir “guitarra elétrica” tantas vezes, não é mesmo? Você não faz isso normalmente, não é mesmo? Então por quê faria para otimizar um texto? Esta prática já não funciona mais.

A densidade de palavras-chave já não é critério para ranqueamento, assim como as meta-keywords. Não entenda errado: você não será penalizado por repetir palavras normalmente durante o texto ou por colocar algumas palavras-chave no seu HTML. O que vai causar algum tipo de problema é o Keyword Stuffing, ou seja, o uso exagerado desses recursos.

Portanto, se você quer escrever bem para o Google e para o seus leitores, procure manter o equilíbrio e estar sempre bem informado sobre o mercado em que você está inserido. Faça uma lista de temas importantes para o seu negócio e encontre palavras relacionadas a eles.

Google AdWords_ Keyword Tool

Assim você consegue saber por onde pesquisar a relevância de cada uma em ferramentas como Google Trends e Google Keyword Tool (pesquise no modo [Exatas] e considere “Pesquisas locais mensais”). Depois, verifique a competitividade de cada uma delas e veja se vale a pena entrar na briga!

Usar o bom senso e algumas ferramentas interessantes faz toda a diferença na hora de aliar o bom conteúdo às práticas de SEO ;)

QUERO RECEBER NOVOS ARTIGOS POR E-MAIL

banner clique
The following two tabs change content below.
Jornalista, especialista em Marketing e Novas Tecnologias em Jornalismo, anda pela internet desde os idos de 1997, quando os modens ainda “cantavam” na hora de conectar. O que realmente prende a sua atenção é o conteúdo e as suas estratégias.

Latest posts by Luisa Barwinski (see all)