Muito tem se falado sobre relacionamento. Relacionamento com o cliente, com colaborador, com a marca, com o produto. Ótimo! Realmente o relacionamento faz parte da base de qualquer negócio. Porém, existe um tipo de relacionamento que não recebe a devida importância, mas que faz toda diferença no resultado final (e também durante todo o percurso): o relacionamento intrapessoal.

Muito confundido com o interpessoal, o relacionamento intrapessoal é a capacidade de integração do autoconhecimento, autodomínio, autoafirmação e a automotivação. Esse relacionamento somado ao interpessoal resulta no conceito de inteligência emocional, que segundo Daniel Goleman é “a capacidade de identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerir bem as emoções dentro de nós e nos nossos relacionamentos e também, é a grande responsável pelo sucesso e insucesso das pessoas.”

Os benefícios do autoconhecimento não são novidades dos dias de hoje e não pertencem somente as novas gerações. Pelo contrário. Há mais de 2000 anos atrás Sun Tzu general, estrategista e filósofo chinês, fez a seguinte afirmação: “Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer resultado de cem batalhas. Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece o inimigo nem a si próprio, perderá todas as batalhas.”

Numa organização, lidamos com diversos tipos de pessoas de temperamentos diferentes e capacidades diferentes. Quando conhecemos nossos limites, nossas reações e nossas motivações, a forma de encarar situações turbulentas é vista de uma maneira mais racional e menos exposta a nossas emoções, diminuindo assim, o risco de tomarmos decisões impulsivas e até mesmo errôneas.

Com a movimentação do “mundo moderno” e a tão desejada 30 horas diárias, é comum  que tempo para refletir sobre si mesmo seja cada vez mais escasso. A tarefa de nos conhecer um pouquinho mais por dia vai sendo adiada e nos privamos de alcançar melhores desempenhos em nossas realizações. Nossas emoções são acumuladas durantes anos e são guardadas em uma caixinha. A grande questão é perceber que nosso comportamento é influenciado e resultante do conteúdo que guardamos por todo esse período.

Conflitos internos também estão presentes quando falamos de inteligência emocional, são eles que auxiliam no fortalecimento das emoções. Portanto, não tenha medo quando dúvidas, anseios e incertezas começarem a surgir no meio do processo de relacionamento com você mesmo.

Quando o relacionamento intrapessoal é de fato existente, é possível notar comportamentos positivos tão procurados entre tantos profissionais. A facilidade na comunicação de pontos de vistas pessoais, prioridades em ações estratégicas bem estabelecidas, energias focadas para o alcance dos objetivos propostos por si próprio e tomadas de decisões com tranquilidade e equilíbrio são só algumas das características de um bom relacionamento intrapessoal.

Proponho-te um exercício para avaliar em que grau está o seu relacionamento intrapessoal. Você conhece a visão, missão e valores da sua empresa, certo? E qual é a sua razão? Ou melhor, você consegue identificar qual é a sua visão, missão e valores? Faça esse exercício e fortaleça a relação com o seu principal público alvo: você!

Texto inspirado no livro “As competências das pessoas, de Cláudio Queiroz”

QUERO RECEBER NOVOS ARTIGOS POR E-MAIL

Mariana Melissa

banner clique
The following two tabs change content below.

Mariana Melissa

Gestora de pessoas e Coordenadora de projetos at Ideia de Marketing
Graduada em Marketing e Gestão de Recursos Humanos, é apaixonada pela arte da escrita e pelas relações pessoais. Já trabalhou com comunicação interna, redação e marketing. Atualmente é Gerente de Projetos na agência Target Mais e está a frente dos projetos internos do Ideia de Marketing atuando como gestora de pessoas e conteúdo. marianamelissa.s@gmail.com