Tudo parte do princípio de onde estamos buscando os dados para alimentar nosso “criativo”.

Na concepção de uma ideia, as dificuldades impostas já em nosso consciente fazem uma espécie de triagem com intuito de facilitar e viabilizar um trabalho. Somos, quanto à parte funcional, executores de nosso pensamento criativo, que nos vive “atormentando” em horas inapropriadas. Quem nunca acordou em plena madrugada com o pensamento gritando e transbordando ideias? Quanto mais trabalhamos o nosso conhecimento, o input de dados aumenta a informação proporcionalmente e a velocidade desse processamento é comparada a um turbilhão, que por sua vez tenta transformar tudo isso em ideia.

Informação! O que realmente distingue uma informação de um dado? Pense em dado como um número, palavra ou imagem qualquer – dispersos – é como olhar ou escutar algo por horas e ao final não assimilar nada. Já a informação é o processamento destes dados, gerar algo produtivo a partir das diversas fontes de recursos que recebemos diariamente.

Agora… como garantir que toda essa ação se transforme em algo produtivo?

Tudo parte do princípio de onde estamos buscando os dados para alimentar nosso “criativo”. Trago a moderna reflexão da internet: é interessante ter várias redes sociais, estar conectado te faz ser a princípio uma pessoa sociável, porém quais são os filtros que estabelecemos? De nada adianta ter tudo e no final não conseguir transformar nada em informação. Haverá os “desbravadores de dados” que dirão que não funciona bem assim, pois se trata apenas de um hobbie/passatempo. Digo a você para que fuja desta ilusão!

Pesquisas demonstram que o tempo médio do brasileiro no Facebook é de aproximadamente 4 horas/dia, cerca de 25% de um dia (descontando 8 horas de sono), sem considerar é claro o horário de trabalho, se entrasse na conta a proporção seria ainda mais representativa. Preocupa-me a capacidade de cada usuário transformar cada dado obtido em algo considerável, que agregue conhecimento e transforme-se em uma ideia estruturada para a criação de um futuro trabalho.

Veja em quatro passos como podemos agrupar dados em informação, gerando conteúdo e despertando a criatividade para elaboração de bons trabalhos.

1. Selecione boas fontes de dados

dados informação

Não se desespere para entrar em tudo que aparecer no mundo virtual e buscar receber dados antes de todos, a capacidade de analisar cada detalhe é o que nos diferencia. Selecione boas plataformas de conteúdo para que possa colher bons dados no seu dia-a-dia.

 2. Faça filtros

Por mais minuciosa que seja nossa seleção, sempre haverá geração de dado fora da nossa capacidade em assimilação de informação, por isso é essencial estabelecer filtros do que queremos agregar ao nosso conhecimento. Lembre-se: o nosso “criativo” é alimentado pelas escolhas que fazemos.

3. Invista em seu conhecimento

O nosso cérebro é como um músculo, precisa ser trabalhado e exercitado constantemente para evitar cair no sedentarismo cotidiano e às vezes até atrofiar perdendo sua capacidade de geração de ideias. A zona de conforto também assombra o “criativo”, investir em conhecimento vai além de uma especialização, esta na diferenciação. Busque inovar, conheça algo novo e invista tempo e dedicação na captura de dados para qualificá-lo, ignore a quantidade e priorize a qualidade das informações que estabelece para si.

4. Desenvolva uma atividade de lazer

Busque alternativas em seu dia que ofereçam satisfação, seja na prática de um esporte, na leitura de um livro, na conversa entre amigos. Essa é a hora de relaxar, deixar o subconsciente exercer o seu papel e processar tudo que foi assimilado, a causa/efeito ocorre naturalmente com o nosso consciente revelando boas ideias.

 Acredite que tudo se transforma! Não podemos recuperar apenas uma coisa e essa é o tempo desperdiçado.

 O homem que tem coragem de desperdiçar uma hora do seu tempo,

não descobriu o valor da vida.

 Charles Darwin

QUERO RECEBER NOVOS ARTIGOS POR E-MAIL 

 

banner clique
The following two tabs change content below.

Eduardo Silva

Apaixonado pela vida e suas surpresas, adora uma boa conversa. Especialista em Planejamento Comercial, é palestrante em negociação e vendas.