Se toda campanha, ou até mesmo uma ação isolada deve ter um objetivo definido de forma clara, concisa e com prazos estipulados, você seria capaz de dizer nesse momento, qual é seu objetivo profissional e em quanto tempo pretende alcançar esse resultado?

No cotidiano de um profissional de marketing, é muito comum a figura do briefing, processo que se destina a nivelamento de conhecimentos e expectativas. Ele entra antes de qualquer ação que um profissional deve fazer e é jargão corriqueiro em reuniões, cafés e almoços de negócios. Existem diversos roteiros de briefing circulando no mundo virtual e outros tantos em livros, revistas. Existem os briefing especializados em eventos, em campanhas publicitárias, em ações de guerrilhas e por aí vai.

Mas o que eu sinto falta em relação ao processo de briefing é como os profissionais de marketing e comunicação não utilizam essa ferramenta para suas carreiras! Então o post de hoje na verdade é um convite, um convite para que você leitor, pense se é tão importante assim conhecer todas as informações de uma empresa para uma ação e como é possível que você entre no mercado (ação), sem antes conhecer as mesmas informações sobre você (produto)?!

Se toda campanha, ou até mesmo uma ação isolada deve ter um objetivo definido de forma clara, concisa e com prazos estipulados, você seria capaz de dizer nesse momento, qual é seu objetivo profissional e em quanto tempo pretende alcançar esse resultado?

Outra informação importante dentro de um briefing é o público-alvo, o target da ação é um fator determinante para o planejamento e sua eficácia. Logo, como sua carreira poderia ter sucesso sem a definição de um público-alvo? Eu dividi as empresas que eu poderia atuar em três grupos quando comecei minha carreira, eram elas: agências de comunicação, veículos de comunicação e houses (departamentos internos de marketing), e nesse último sub-dividido entre: B2B (Bussiness to Bussiness) e B2C (Bussiness to Consumer). Conclui que eu deveria tentar todas antes de ter certeza, mas antes de chegar a experimentar a rotina de um meio de comunicação, fui completamente seduzido por houses B2C que hoje se tornaram meu público-alvo.

Você também pode incluir nas suas escolhas de público-alvo, ONGs, políticos, prestadoras de serviços, ou um determinado segmento da economia, como saúde, construção civil, shoppings centers, etc.

Defina também a abrangência de sua ação mercadológica, se você pretende trabalhar no exterior ou mesmo em uma grande metrópole brasileira, e esteja preparado para a oportunidade quando ela chegar até você.

Talvez um dos pontos mais difíceis no preenchimento do seu auto-briefing, esteja em sua análise de Pontos Fortes e Pontos Fracos, é preciso ter muita franqueza para responder estas perguntas, e é comum nessa parte do briefing que o profissional chegue a conclusão de que não há diferencial nenhum entre ele e a média do mercado. Isso demonstra que antes da ação de mercado prevista, é preciso acoplar alguns diferencias (cursos, palestras, workshops, etc) ao seu produto, e depois sim, investir em uma ação mais ostensiva no mercado.

Assim como em um produto, você como profissional deve gerar um alto grau de atratividade no mercado, e os seus atributos de marca devem ser condizentes com o perfil do seu target, com as necessidades e desejos desse público.

Conhecer bem você mesmo fará toda a diferença na hora de se vender ao mercado de trabalho, por isso dedique um tempo para este exercício e realize o briefing de si mesmo, com certeza o resultado pode lhe surpreender!

Um grande abraço e muito sucesso!

banner clique