O relações públicas também é responsável por manter as coisas funcionando da melhor maneira possível no quesito comunicação e relacionamento, interna e externamente. Uma boa maneira de entendermos o escopo dessa responsabilidade é saber compreender o que é uma crise em potencial.

Podemos entender por “crise” situações que coloquem em risco o funcionamento cotidiano ou a reputação de uma organização. Os motivos que as desencadeiam podem ter origem interna, por exemplo, quando acontecem acidentes ou outros problemas com colaboradores e com fase de produção, como também podem surgir de situações que envolvam consumidores, concorrentes, governo e desvio de normas legais e moralmente instituidas.

No âmbito da comunicação é indispensável que as empresas se antecipem às crises tentando elaborar planos estratégicos que respondam rápida e adequadamente demandas de imprensa, de colaboradores, consumidores etc. Além de uma estratégia para situações de crise devem existir pessoas específicas que fiquem responsáveis por determinadas situações e que estejam preparadas para que, quando for identificada qualquer “instabilidade”, seja possível tomar decisões em tempo hábil, não permitindo que uma potencial crise se torne uma crise instalada.

Minimizar riscos é sempre importante, mas não é possível ter total controle de que as coisas se darão como planejado. Por isso as companhias devem confiar a seus funcionários o esforço para que normas não sejam desviadas e que os procedimentos padrão e política de trabalho estejam claros para todos. Nesse cenário o relações públicas deve trabalhar também para que não haja desarmonia entre colaboradores em momentos de dificuldades, e, para que as consequências não sejam maximizadas e tomem proporções desnecessárias.

Fonte: http://bit.ly/IJEedD

Todo e qualquer cuidado deve ser mantido em situações que envolvam terceiros sobre os quais a organização não tem nenhum controle. Comitês de crise devem ser instaurados seguindo as situações e as pessoas envolvidas. Um Departamento de Comunicação deve sempre comunicar a versão da companhia para a imprensa e mantê-la atualizada; departamentos técnicos devem estar atentos para justificar problemas com produtos; a área de Recursos Humanos deve atentar para problemas com colaboradores; departameto de Relacionamento com Governo deve cuidar para justificar desvios de normas junto aos Ministérios, por exemplo.

Percebe-se assim que não é possível trabalhar sem que exista a consciência de que coisas podem dar errado, e isso não é pessimismo. Prevenção e elaboração de estratégias prezam pela gestão da imagem e reputação das organizações e por isso entende-se que toda empresa deve ter como princípio a responsabilidade sobre seus atos e o comprometimento em ser transparente para justificar problemas e redimir-se publicamente quando necessário.

banner clique