A comunicação é considerada um dos maiores problemas pelas empresas. A eficiência do processo de comunicação e das relações interpessoais interfere no desempenho da equipe, nos resultados da organização e pode ser influenciada pela experiência de vida, outras características particulares a cada um e pelos fatores situacionais.

A falta de atenção para com as etapas que compõe o processo de comunicação pode levar as lideranças a desempenharem um papel de oposição ao desenvolvimento de suas equipes e propósitos organizacionais.

O primeiro post desta série abordou a relação entre a individualidade e a obtenção de resultados. Ao final do texto, convidamos nossos leitores a compartilhar suas “respectivas percepções” sobre algumas figuras e gostaríamos de agradecer a todos que participaram, pública e reservadamente.

Fonte: http://bit.ly/HrSqZf

Neste contexto, não havia certo ou errado, mas a forma particular como cada um “vê e percebe” um único objeto, figura, pessoa, situação, etc.. O objetivo deste convite foi levá-los a refletir sobre a influência das características pessoais no processo de percepção e o quanto é importante conhecer as diferentes interpretações para a evolução e desenvolvimento de grupos e equipes.

Sabido a importância de se interpretar as particularidades de cada um, é preciso compreender como isto acontece. Sensação e percepção são determinantes fundamentais assumidos pelos indivíduos. A sensação está relacionada ao estímulo físico dos sentidos e a percepção ao que foi receptado por meio deles (Bowdith & Buono, 1992).

Segundo os autores, a interpretação varia de pessoa para pessoa por influência daquilo que cada um vivencia. Há também uma forte tendência dos indivíduos em selecionar diversos objetos, sons e eventos externos que lhe sejam mais intensos, de maior tamanho, que contrastem com o fundo, sejam novos ou extremamente familiares.

(Leavitt, 1972) acrescenta que o indivíduo está mais propício a perceber aquilo que condiz com suas próprias necessidades, enquanto o que lhes parece um obstáculo tende a ser negado não sendo assim, absolutamente percebido. No entanto, se essas se tornam verdadeiramente ameaçadoras as pessoas tendem a encarar firmemente passando a percebê-las.

Exemplo: um membro da equipe pode desempenhar bem o seu papel, mas se mostrar resistente a assumir novas atribuições por ter dificuldades em desempenhá-las. No entanto, como sabe que precisa do seu emprego passa a aceitá-la e procura cumprir a função que lhe foi estabelecida. Isso porém, pode trazer certa insatisfação e perda de desempenho.

O processo de percepção e comunicação na empresa são pontos de forte impacto à produtividade e desempenho da equipe, tanto para o progresso quanto retrocesso dos resultados. O que vai diferir uma situação da outra é a atitude do líder perante a equipe no dia-a-dia.

O feedback

Uma peça essencial às lideranças de equipes produtivas é o feedback. O líder deve “buscar e oferecer” feedbacks contínuos para checar se compreendeu e foi devidamente compreendido por todos. Os resultados do processo de comunicação estão diretamente relacionados à compreensão das particularidades do receptor.

Ao orientar, solicitar ou comunicar algo, o líder deve voltar toda a atenção ao objetivo daquela ação e principalmente, às características do receptor. Seja em como vai fazê-lo, por qual meio, que tipo de linguagem utilizará, o momento mais adequado de efetuar a abordagem, tudo deve ser feito de modo a favorecer a compreensão de quem receberá a mensagem, mediante feedback para checar se o objetivo inicial foi alcançado.

Outro ponto que merece atenção são “os ruídos” que podem ser os responsáveis por não se ouvir ou por se compreender errado uma mensagem, o que faz do feedback peça fundamental para que se dê ou não o próximo passo. A distorção perceptiva pode levar a respostas imprecisas e proporcionar a projeção de comportamentos não condizentes com a realidade das pessoas, fato que afeta os relacionamentos interpessoais, a produtividade e os resultados da empresa.

Fonte: http://bit.ly/HtrLc6

O novo perfil de consumidores e colaboradores traz a necessidade de líderes mais flexíveis e aprendizes, dispostos a ouvir e compreender as diferentes gerações que compõem o meio. As transformações sociais trouxeram diversas soluções, ferramentas, mas também desafios. O maior deles é criar lideranças capazes de gerir diferenças e promover desenvolvimento contínuo neste novo contexto de negócios.

E você, como percebe as lideranças do seu meio? Conte-nos sobre sua experiência, compartilhe seus conhecimentos e contribua para a evolução do tema. O próximo artigo trará um pouco da história do líder e os próximos passos para o desenvolvimento de equipes produtivas.

O vídeo abaixo apresenta um comercial criativo e traz um reflexo da força e da aplicabilidade dos diferentes conhecimentos, habilidades e experiências na geração de produtividade e resultados em equipe. Confira! Grande abraço e até o próximo!

banner clique