Chegamos ao nosso terceiro bate-papo da série sobre e-mail marketing. Nos dois posts anteriores (Mala Direta, Newsletter e as black lists  e Tratamento de base e uma campanha efetiva) falamos bastante sobre a preparação de uma ação de e-mail marketing. Agora, vamos entrar efetivamente no disparo dessa campanha.

Assim como em todo tipo de publicidade, você tem pouco tempo para convencer seu prospect que a mensagem vale a pena. No e-mail marketing o convencimento para que o usuário abra seu e-mail vem exclusivamente de um fator específico do e-mail, e para conseguirmos a primeira ação do processo apresentado abaixo, a abertura, o profissional tem apenas o: subject (ou assunto do e-mail).

Quando um usuário recebe um e-mail em sua caixa de entrada, a única coisa que ele visualiza é o assunto do e-mail e vai ser esta pequena quantidade de palavras que levará a responsabilidade de introduzir o internauta no processo acima ou, jogar todo o investimento da empresa para a caixa de spam.

Um subject deve ser objetivo e trabalho de forma a gerar uma ação e tirar o usuário da inércia reagindo de forma planejada entre uma das quatro ações abaixo:

O grande desafio é combinar, o máximo possível, desses quatro elementos em um título que não deve ultrapassar o tamanho de uma mensagem veiculada no Twitter (140 caracteres). Embora, eu não aconselho que ultrapasse 70 caracteres, o que torna tudo mais difícil e instigante.

Estima-se que 35% dos internautas escolhem ler ou não um e-mail baseado em seu assunto e a grande maioria dos serviços de e-mail gratuito, mostra entre 30 e 45 caracteres do assunto na caixa de entrada.

O lado negro da força do subject é causado por conta dos provedores do rankeamento de spam que os servidores de e-mail dão à algumas palavras. Porém, não é apenas por conta desta lista de palavras que um e-mail marketing é levado a uma caixa de spam, mas é importante evitá-las, pois caso haja mais fatores críticos em sua campanha, você poderá colocar tudo a perder.

Abaixo, listo algumas das principais palavras que devem ser evitadas:

Claro que a pontuação de Spam, também leva em consideração o histórico do provedor, o conteúdo em HTML, etc, ou seja, o fato de cair no spam não depende exclusivamente do subject (embora não se deva descuidar desse importante detalhe), mas o fato de o internauta escolher abrir ou não o seu e-mail, esta ação sim, vai depender exclusivamente de um bom trabalho no subject do e-mail.

E este despertar da atenção do usuário, nada mais é que o grande desafio do marketing digital que, em meio de tantas outras informações, as marcas precisam criar interesse e em pouco tempo (e em poucas palavras) vencer a batalha digital de percepções! Saia do clichê das palavras acima e trace uma estratégia focada no seu consumidor, seus desejos e necessidades.

No nosso próximo bate-papo, continuaremos nos aprofundando mais dentro do universo do e-mail marketing, espero vocês na próxima semana! Um grande abraço e muito sucesso.

banner clique