Que loja não transmite um conceito?

Até mesmo aquelas que não possuem uma marca conhecida, ou sequer uma marca, já transmitem por si só uma mensagem. De preço, de posicionamento, de qualidade. A loja física é o ambiente em que se pode proporcionar a experiência com a marca, e não só uma experiência de compra. Aquelas que entenderam exatamente o que uma experiência pode fazer por sua marca, realmente são as que melhor transmitem seu conceito. Por isso, esse termo ‘Concept Store’- Lojas Conceito – acabou por ser usado por aquelas que realmente querem proporcionar uma experiência com seu público. E se essa experiência puder ser vivenciada pelo público e ser interferências de vendedoras, despertará os sentidos do consumidor e será mais imersiva. É um espaço que funciona como um showroom de uma determinada marca, apresenta o produto de forma diferenciada, algumas também vendendo o produto no local.

Embora seja uma tendência, não é algo novo. Mas realmente é algo que veio para ficar. Com as pessoas tendo cada vez menos tempo ou disposição para ficar em lojas físicas, se ela não tiver algum atrativo além do produto em si, a experiência dificilmente irá acontecer. Ou até integrar o espaço virtual, o e-commerce com esses espaços físicos, tem se mostrado um ótimo investimento.

Não que uma marca vá substituir totalmente seu investimento em mídia, mas em alguns momentos estratégicos, migrar esse investimento para esses ambientes tem se mostrado um ótimo negócio. Além de criar experiência, a mídia gerada pela imprensa e pelo próprio público é algo inevitável.

Como explicar uma marca brasileira como a Natura, inaugurando sua loja conceito em Paris? Será que quer fixar seu posicionamento no mercado francês, ou entendeu que cosméticos de alta qualidade são procurados lá, inclusive por brasileiros? E quanto vale um consumidor da marca passeando em terras francesas, encontrar a SUA marca no meio de tantas outras referências mundiais?

Ou num passeio pela Rua Oscar Freire, encontrar as Havaianas apresentando-se num ambiente descontraído, onde até mesmo o segurança e a faxineira passam o conceito que a marca querem – realmente fiquei impressionada com o estilo dos dois, entraria na loja só para vê-los!

E se esse espaço pode ter a tecnologia como agregadora de experiência, como presenciamos em museus – como o do futebol e da língua portuguesaem São Paulo? Foi o que a Bombril fez, investindo num mesmo espaço experiências de compras: a Casa Bombril – uma loja onde você encontra todos os produtos da Bombril, até mesmo aqueles que nem sabia que pertencia à marca – além de reforçar sua histórica, num espaço como num museu que mostra seus primeiros produtos, as clássicas propagandas, oferece cursos gratuitos para empregadas domésticas e ainda se pode tirar foto com um “Carlos Moreno” em tamanho real.

E sua marca, tem passado o conceito ou proporcionado a experiência que sua propaganda diz?

banner clique
The following two tabs change content below.
Diretora de Planejamento da i9 Comunicação e Inovação, co-founder da co-Event.co, atuou como Account Manager da YDreams Brasil. Colunista do blog Ideia de Marketing, co-organizadora do TEDxPortoAlegre, TEDxCuritiba e Startup Weekend no Paraná. Em constante estudo/prática nas áreas de planejamento criativo, gestão do conhecimento, empreendedorismo e inovação.