Não sou Corinthiano!

Mas preciso admitir o quanto este time está sendo eficiente em suas campanhas e ações.

Isso deve-se muito ao fenômeno Ronaldo. Eu digo isso pois depois que ele chegou que os profissionais de marketing do time viram o quanto pode-se explorar a imagem de um jogador, e além de disso, de um time. O time mais popular do Brasil com cerca de 30 milhões de torcedores.

Os times de futebol são marcas. E marcas apaixonantes.  O fato é que os times aprenderam a fazer marketing e a usar essa paixão. Aprenderam a fazer branding e a gerenciar suas marcas. Por outro lado, existem muito fatores contra uma boa gestão, pois envolve pessoas, os jogadores. Não basta ser um craque, se no dia do jogo tal jogador estiver com dor de cabeça e jogar mal, sua imagem acaba desgastada. Sem contar nos baladeiros, por ex., que degridem a imagem de organização e ordem dentro de uma equipe.

E temos também os ídolos (como o Ronaldo). Há 40 anos atrás, a imagem de um ídolo não era tão explorada como hoje.  Isto cresce a cada dia.

Bem, enfim, vejam a campanha criada pela Nike:

A campanha dá uma aula de marketing e suas tendências, explorando muito bem o design estratégico e branding sensorial, fazendo com que houvesse um relacionamento emocional com os clientes ( no caso, os torcedores). Explorou muito bem o conceito inicial e abriu o leque no final para novas ações.

Só para encerrar, fica a questão: você mais ama alguma marca no mundo que não seja seu time?

 

banner clique
The following two tabs change content below.
Acredita que somente pessoas são fator de mudança. Fundador e Gestor do Ideia de Marketing, é consultor em marketing e branding.